Sociedade | 27-11-2016 18:18

"Diminuiu a capacidade dos pais cuidarem dos filhos com deficiência"

"Diminuiu a capacidade dos pais cuidarem dos filhos com deficiência"
VIALONGA

Associação Projecto Jovem quer construir um lar de acolhimento para poder cuidar dos seus utentes a 100%.

A morte, durante este ano, de dois utentes da Associação Projecto Jovem (APJ) veio dar ainda mais força a Maria Goretty Ribeiro para concretizar o objectivo de criar um lar de acolhimento nas instalações da instituição, em Vialonga, concelho de Vila Franca de Xira.

A presidente da associação de apoio a pessoas com deficiência motora e mental acredita que se o lar estivesse construído conseguiria dar uma ajuda plena a pessoas com deficiência e responder afirmativamente à questão que muitos pais colocam: quem irá cuidar do meu filho depois de mim?

"O facto de ainda não termos o lar de acolhimento está a tornar-se crítico. A esperança média de vida aumentou. Há mais medicação e cuidados médicos, a capacidade dos pais cuidarem dos filhos com deficiência diminui, seja por velhice ou falta de força, e não há lares para a população deficiente. Os lares são de idosos e as residenciais que existem para deficientes estão lotadas. Estão connosco 30 famílias a pensar cada vez mais no futuro dos filhos", explica Goretty Ribeiro.

Um dos casos prementes ocorridos este ano envolveu uma jovem de 30 anos, órfã de pai, cuja mãe sofreu um AVC e ficou incapaz de cuidar da filha. Na altura do acidente Goretty Ribeiro e a assistente social tiveram que passar a noite nas instalações com a jovem deficiente, já que não houve resposta imediata das entidades competentes.

* Notícia completa na edição semanal de O MIRANTE.

Mais Notícias

    A carregar...

    Edição Semanal

    Edição nº 1355
    13-06-2018
    Capa Vale Tejo
    Edição nº 1355
    13-06-2018
    Capa Médio Tejo