Sociedade | 07-01-2017 12:32

Estrada Nacional 3 vai receber investimentos de dois milhões

Objectivo é reduzir sinistralidade e aumentar segurança.

Até 2019 serão investidos dois milhões de euros no troço entre Azambuja e Carregado. Segundo o relatório da Autoridade Nacional de Segurança Rodoviária nos últimos cinco anos e só nos primeiros 17 quilómetros da Nacional 3 morreram quatro pessoas e 17 ficaram gravemente feridas.

Nos próximos três anos vão ser investidos pela empresa pública Infraestruturas de Portugal (IP) cerca de dois milhões de euros na requalificação do troço entre Azambuja e Carregado da Estrada Nacional 3.


O objectivo é reduzir a sinistralidade e melhorar as condições de segurança da via que matou trinta pessoas nos últimos 15 anos na sequência de acidentes de viação, que foram mais de 475. A média redonda é de dois mortos por ano. No total, ficaram gravemente feridas 67 pessoas.
A IP tem intervenções previstas para aquele troço começando já este ano e prolongando-se os trabalhos faseadamente até 2019, data prevista para as intervenções de maior envergadura. Entre os trabalhos programados para serem realizados na via estão a reformulação do ilhéu na rotunda e zonas adjacentes junto à vila do Carregado, numa extensão de 300 metros, bem como a instalação de semáforos no cruzamento com a Nacional 1 no Carregado, um cruzamento caótico e que há muito requer uma solução.

A empresa diz que estão também previstos trabalhos de tratamento das zonas urbanas e de reformulação de vários cruzamentos e entroncamentos da EN3, ao longo de 15 quilómetros, abrangendo os concelhos de Alenquer e Azambuja num investimento que rondará um milhão de euros. Para 2019, estima a empresa, avançará a obra maior de requalificação de um troço com 5 quilómetros entre Vila Nova da Rainha e o Carregado, representando um investimento também próximo de um milhão de euros.

* Notícia desenvolvida na edição semanal de O MIRANTE

Mais Notícias

    A carregar...

    Edição Semanal

    Edição nº 1359
    11-07-2018
    Capa Vale Tejo
    Edição nº 1359
    11-07-2018
    Capa Médio Tejo