Sociedade | 08-01-2017 00:01

Cinco consultas e três médicos para obter atestado desportivo e sai de mãos a abanar

Cinco consultas e três médicos para obter atestado desportivo e sai de mãos a abanar

Piloto de Almeirim teve de recorrer a clínica privada perante recusas no centro de saúde.

O piloto de motocrosse de Almeirim, João Duarte, 14 anos, não conseguiu obter o atestado médico desportivo, necessário para poder competir, no centro de saúde da cidade, depois de ter passado por três médicos. O pai do jovem piloto teve que recorrer a uma clinica privada para obter o documento, que foi emitido de imediato, tendo pago 10 euros apenas pela emissão do atestado.


A história começou no Verão de 2016, mais precisamente em Agosto. João Duarte precisava de um atestado médico desportivo para poder competir em provas de motocross em 2017, por isso, dirigiu-se à sua médica de família no Centro de Saúde de Almeirim, que o mandou fazer vários exames, entre os quais um electrocardiograma, prova de esforço e análises. Segundo o pai, João Duarte, a clínica indicou que os exames fossem feitos perto do final do ano “para estarem actualizados no momento em que o atestado fosse passado”, explicou a O MIRANTE.


Com os exames clínicos realizados foi marcada uma consulta para o dia 20 de Dezembro. Acontece que a sua médica família entretanto ficou de baixa médica por estar grávida e a consulta foi adiada para o dia 27 de Dezembro. A médica continuava de baixa e foi marcada nova consulta para o dia 29 de Dezembro para a 11h30.

* Notícia desenvolvida na edição semanal de O MIRANTE. AQUI

Mais Notícias

    A carregar...

    Edição Semanal

    Edição nº 1376
    07-11-2018
    Capa Médio Tejo
    Edição nº 1376
    07-11-2018
    Capa Vale Tejo