Sociedade | 17-01-2017 14:10

Presidente de Tomar admite ter pago multa do próprio bolso por falta de resposta a munícipe

Presidente de Tomar admite ter pago multa do próprio bolso por falta de resposta a munícipe

Anabela Freitas foi condenada a pagar 2.438 euros por litigância de má-fé.

A presidente da Câmara de Tomar, Anabela Freitas (PS), nega ter pago uma multa pessoal com um cheque da autarquia. A notícia foi avançada pelo jornal O Templário que dá conta que a presidente da autarquia foi condenada a pagar 2.438 euros por litigância de má fé por não ter dado resposta a um munícipe.

A questão foi levantada pelos vereadores do PSD, João Tenreiro e Beatriz Schulz, na reunião de câmara do dia 16 de Janeiro, ao que Anabela Freitas respondeu ter pago do seu bolso 2332 euros. Acrescentou ter enviado, nesse mesmo dia, resposta ao jornal.

“Eu recebi uma guia de pagamento pessoal e foi do meu bolso que paguei. Os cheques da autarquia não são passados por mim. Além disso, não respondi ao jornal porque me enviou o pedido de contraditório a uma quarta-feira, à uma e meia da tarde, e nem sempre aqui estou. O meu trabalho é essencialmente fora”, disse.

A decisão foi do Tribunal Administrativo e Fiscal de Leiria. Na carta que enviou ao jornal o Templário, Anabela Freitas reconhece que “a Câmara Municipal deve estar apetrechada dos mecanismos suficientes para melhor responder às necessidades dos seus munícipes”. Acrescenta que “Tomar reúne todos esses requisitos” mas que “algo terá falhado em todo o sistema”.

A autarca avançou que “está em curso a abertura de um processo interno de averiguações para se apurarem responsabilidades”. No caso de se detectar matéria suficiente, “proceder-se-á à abertura de processos disciplinares”.

Mais Notícias

    A carregar...

    Edição Semanal

    Edição nº 1377
    15-11-2018
    Capa Vale Tejo
    Edição nº 1377
    15-11-2018
    Capa Médio Tejo