Sociedade | 20-01-2017 15:54

Frio rebenta com centenas de contadores de água no distrito de Santarém

Frio rebenta com centenas de contadores de água no distrito de Santarém
SANTARÉM

A empresa intermunicipal Águas do Ribatejo (AR) registou esta sexta-feira, 20 de Janeiro, mais de 150 ocorrências nos sete concelhos do distrito de Santarém que serve (Almeirim, Alpiarça, Coruche, Salvaterra de Magos, Torres Novas, Benavente e Chamusca) devido ao congelamento de água nas condutas de abastecimento, situação que está a afectar alguns milhares de pessoas.

Segundo o gabinete de comunicação da AR, as temperaturas negativas que se têm feito sentir na região originaram o congelamento da água, o que tem provocado roturas nos canos que são de plástico, bem como avarias em contadores, sobretudo nos que se encontram na rua, sem protecção, como acontece em algumas zonas rurais.

A AR dá o exemplo da localidade de Glória do Ribatejo, concelho de Salvaterra de Magos, onde “talvez mais de mil pessoas” estão sem água canalizada, estando os serviços, com a ajuda de uma empresa especializada, a tentar localizar a origem da “perda de água significativa” que se está a registar naquela localidade e que se admite ter na origem a rotura da conduta principal devido ao congelamento da água.

Também as povoações de Casalinho, no concelho de Alpiarça, e de Vale de Cavalos, na Chamusca, entre outras, estão sem água, adiantou. Em alguns casos, a situação descrita não tem a ver com roturas, mas apenas com água que não corre nas torneiras porque congelou.

Também o concelho de Santarém acordou esta sexta-feira sem água em muitas freguesias do concelho. A empresa municipal Águas de Santarém está já a reforçar as equipas para acorrer às dezenas de pedidos de ajuda.

"Estou aqui há quatro anos e não me lembro de uma situação como esta", desabafou a O MIRANTE Teresa Ferreira, administradora-executiva da empresa municipal. "De manhã recebemos muitas chamadas a dar conta da falta de água, sobretudo nas freguesias de Moçarria e Póvoa da Isenta, porque a água tinha congelado nas tubagens", revelou a responsável.

Com o nascer do dia e o gradual aumento das temperaturas, a água voltou a correr nos canos. No entanto, pouco depois começaram a chegar "às dezenas" os telefonemas para a Águas de Santarém. Com o degelo, foram muitos os contadores de água, tubagens e bocas de incêndio que rebentaram. As freguesias mais afectadas são, além das já acima citadas, Várzea, Amiais de Baixo e Vale de Santarém.

Em Tomar dezenas de contadores de água rebentaram devido às temperaturas muito baixas que se registaram. Cerca de 75 contadores não aguentaram o congelamento da água que está no seu interior e acabaram por rebentar.

Os SMAS não estão a conseguir acorrer a todos os incidentes e apelam à compreensão dos consumidores, deixando ainda conselhos para a população proteger os equipamentos que se encontrem no exterior.

“Até esta sexta-feira, ao meio-dia, registámos o rebentamento de cerca de 75 contadores de água e prevemos que o número poderá aumentar, embora ontem [quinta-feira] tenha sido o dia com mais ocorrências”, disse a O MIRANTE Francisco Marques, director-delegado dos Serviços Municipalizados de Água e Saneamento (SMAS) de Tomar. O problema afectou também algumas bocas de incêndio.

As zonas mais afectadas são as freguesias de S.Pedro e Carvalhos de Figueiredo, com vários munícipes a queixarem-se de faltas de água. Os serviços disponibilizaram uma equipa para resolver estas ocorrências “fora das horas de trabalho” e neste momento estão destacados três funcionários para resolverem os casos mais urgentes, que se prendem com o rebentamento de contadores, que estão a ser substituídos por equipamentos novos e anti-gelo, segundo informações do mesmo responsável.

Mais Notícias

    A carregar...

    Edição Semanal

    Edição nº 1380
    05-12-2018
    Capa Vale Tejo
    Edição nº 1380
    05-12-2018
    Capa Médio Tejo