Sociedade | 20-01-2017 00:02

Vítimas de legionella arrasam políticos e justiça e elogiam hospital

Quatro dezenas de vítimas do surto de legionella que afectou o concelho de VFX sentaram-se à mesa e avaliaram a forma como as diferentes entidades lidaram com o surto de Novembro de 2014

Um estudo desenvolvido por um professor do Instituto de Ciências Sociais (ICS) envolvendo uma amostra de quatro dezenas de vítimas do surto de legionella registado no concelho de Vila Franca de Xira em Novembro de 2014 mostrou que a maioria gostou da forma como foi atendida pelos serviços de saúde mas considerou "muito negativa" a actuação dos autarcas locais e do governo.

Os dados foram revelados em Vila Franca de Xira durante um encontro promovido pela Associação Promotora do Museu do Neo-Realismo e Associação Alves Redol sobre o tema da legionella, surto que infectou 375 pessoas e ceifou a vida a outras 12.

Quando questionadas para avaliar na escala entre "muito negativa" ou "muito positiva", as vítimas deram nota máxima de satisfação ao Hospital Vila Franca de Xira e à actuação do Serviço Nacional de Saúde. A delegação local da Ordem dos Advogados recebeu também uma opinião positiva e depois é sempre a descer. A fábrica suspeita de ser a responsável do surto, a ADP Fertilizantes do Forte da Casa, é avaliada de forma "muito negativa", juntamente com a Agência Portuguesa do Ambiente, câmara municipal e juntas de freguesia.

"O sistema judicial e os tribunais foram também avaliados muito negativamente e citados muito frequentemente como um sistema que não funciona e cuja orgânica poucos compreendem", explicou João Guerra, professor responsável do estudo.

* Notícia completa na edição semanal de O MIRANTE.

Mais Notícias

    A carregar...

    Edição Semanal

    Edição nº 1368
    12-09-2018
    Capa Vale Tejo
    Edição nº 1368
    12-09-2018
    Capa Médio Tejo