Sociedade | 27-03-2017 09:41

Município da Golegã pondera regresso à Águas do Ribatejo

O possível regresso do município da Golegã à empresa intemunicipal Águas do Ribatejo, de que foi um dos fundadores, voltou a ser discutido em reunião de câmara. O vice-presidente, Carlos Asseiceiro (PS), lembrou que o município não dispõe das verbas para os investimentos necessários nos sistemas de abastecimento de água e saneamento básico, que rondam os 3 milhões de euros, sendo a adesão à empresa intermunicipal uma forma de solucionar esse problema.

O MIRANTE já tinha revelado o ‘namoro’ entre a Águas do Ribatejo e o município da Golegã em Outubro de 2016. Recorde-se que a Golegã fez parte do projecto de criação da Águas do Ribatejo mas acabou por sair em 2008, pouco tempos depois da fundação da empresa, preferindo continuar a gerir a água e o saneamento no seu concelho. Agora, pondera fazer marcha-atrás.

O presidente da autarquia, Rui Medinas, garantiu que "até ao final deste mandato este assunto fica decidido". A câmara encomendou um estudo que deve estar pronto no final de Abril.

Os problemas são vários; contadores de água que não funcionam, o que se reflecte na receita arrecadada; infraestruturas com cerca de 30 anos onde não houve praticamente nenhum investimento a não ser a sua manutenção; o mau serviço que é prestado ao cidadão devido aos parcos recursos que o município dispõe actualmente, como por exemplo funcionários com limitações de saúde e físicas e poucos efectivos.

* Notícia completa na edição semanal de O MIRANTE.

Mais Notícias

    A carregar...
    Caipirinhas para todos os gostos
    Foto do Dia
    As caipirinhas são a aposta há oito anos da van food “Caipi Joca’s”, de Carlos Travessa, um dos presentes na 4.ª edição do Festival Reverence que decorreu nos dias 8 e 9 de Setembro, pela primeira vez, na Ribeira de Santarém. A residir em Salvaterra de Magos, o empreendedor de 38 anos começou o negócio juntamente a sua sócia, Josélia Godinho, de 33 anos, depois de ter tido muito sucesso com o seu bar exclusivo de caipirinhas nas festas de Salvaterra de Magos. O nome surgiu de uma junção de “Caipi” (caipirinhas), “Jo” (Josélia) e “Ca” (Carlos). Entre as várias caipirinhas à disposição, a que está no topo das preferências é a tradicional com cachaça.
    Foto do Dia | 22-09-2017

    Edição Semanal

    Edição nº 1317
    21-09-2017
    Capa Vale Tejo
    Edição nº 1317
    20-09-2017
    Capa Médio Tejo