Sociedade | 28-04-2017

Casa do Brasil recebe “Santarém Cidade em Crescente” durante nove meses

1 / 21
Casa do Brasil recebe “Santarém Cidade em Crescente” durante nove meses
2 / 21
Casa do Brasil recebe “Santarém Cidade em Crescente” durante nove meses
3 / 21
Casa do Brasil recebe “Santarém Cidade em Crescente” durante nove meses
4 / 21
Casa do Brasil recebe “Santarém Cidade em Crescente” durante nove meses
5 / 21
Casa do Brasil recebe “Santarém Cidade em Crescente” durante nove meses
6 / 21
Casa do Brasil recebe “Santarém Cidade em Crescente” durante nove meses
7 / 21
Casa do Brasil recebe “Santarém Cidade em Crescente” durante nove meses
8 / 21
Casa do Brasil recebe “Santarém Cidade em Crescente” durante nove meses
9 / 21
Casa do Brasil recebe “Santarém Cidade em Crescente” durante nove meses
10 / 21
Casa do Brasil recebe “Santarém Cidade em Crescente” durante nove meses
11 / 21
Casa do Brasil recebe “Santarém Cidade em Crescente” durante nove meses
12 / 21
Casa do Brasil recebe “Santarém Cidade em Crescente” durante nove meses
13 / 21
Casa do Brasil recebe “Santarém Cidade em Crescente” durante nove meses
14 / 21
Casa do Brasil recebe “Santarém Cidade em Crescente” durante nove meses
15 / 21
Casa do Brasil recebe “Santarém Cidade em Crescente” durante nove meses
16 / 21
Casa do Brasil recebe “Santarém Cidade em Crescente” durante nove meses
17 / 21
Casa do Brasil recebe “Santarém Cidade em Crescente” durante nove meses
18 / 21
Casa do Brasil recebe “Santarém Cidade em Crescente” durante nove meses
19 / 21
Casa do Brasil recebe “Santarém Cidade em Crescente” durante nove meses
20 / 21
Casa do Brasil recebe “Santarém Cidade em Crescente” durante nove meses
21 / 21
Casa do Brasil recebe “Santarém Cidade em Crescente” durante nove meses

Exposição multidisciplinar associa a história da cidade à ideia de fertilidade

A Casa do Brasil em Santarém vai ter em exibição a partir de 7 de Maio, domingo, e durante nove meses a exposição ‘Santarém Cidade em Crescente’ que revisita a história milenar do velho burgo e a sua relação com as várias manifestações e conceitos de fertilidade, quer a materna simbolizada nas imagens de Nossa Senhora da Conceição, padroeira da cidade e do país, quer as dos campos que a rodeiam ou do rio que corre a seus pés.

Ao todo são cerca de 70 peças, muitas delas da reserva museológica do município e outras cedidas por museus de outras paragens, como Torres Novas, Lisboa ou Ribeira de Santarém, complementadas com instalações de arte contemporânea de João Maria Ferreira, Carlos Amado ou Fernanda Narciso, fotografias de José Freitas e projectos multimédia de Jorge Sá e Diana Amado. Há ainda, inscritas nas paredes, citações de textos sobre a cidade de diversos autores.

A exposição divide-se pelas diversas salas e níveis da Casa do Brasil. A pré-inauguração, destinada à comunicação social, realizou-se esta sexta-feira, 28 de Abril, e teve como cicerones a vereadora da cultura Susana Pita Soares e os técnicos do município Luís Mata e Carlos Amado, autores do projecto.

Peças de origem islâmica, fenícia, romana ou visigótica remetem para os sucessivos povos e culturas que construíram a história da cidade ao longo dos séculos. Podem ver-se, entre outros objectos, um capitel árabe, uma cisterna, pithoi fenícios, lucernas islâmicas, estelas, ânforas, talhas, arreios e selas.

A ideia tem vindo a ser trabalhada desde Agosto de 2016 e a inauguração está marcada para a tarde de 7 de Maio, Dia da Mãe. Vai durar até 17 de Fevereiro de 2018 e até lá a vereadora espera ter muitos visitantes não só da cidade mas também de fora, nomeadamente de escolas. O objectivo é ultrapassar os cerca de 10 mil visitantes com que teve a anterior exposição “Medos, Modos e Mitos”.

Mais Notícias

    A carregar...

    Edição Semanal

    Edição nº 1368
    12-09-2018
    Capa Vale Tejo
    Edição nº 1368
    12-09-2018
    Capa Médio Tejo