Sociedade | 04-06-2017 14:15

Câmara de Santarém recorre de decisão em que foi condenada a pagar 5 mil € de indemnização

Artista deixou ao cuidado da autarquia 40 desenhos originais ilustrando janelas de Marvila que, aparentemente, levaram sumiço.

A Câmara de Santarém foi condenada a pagar uma indemnização de 5 mil euros a um artista que, em 2010, deixou ao cuidado da autarquia 40 desenhos originais ilustrando janelas de Marvila (freguesia da cidade de Santarém) que, aparentemente, levaram sumiço.

A autarquia já recorreu da sentença, alegando que as obras foram devolvidas por correio nessa altura ao respectivo proprietário, mas este diz que não as recebeu.

O queixoso, Rui José Santos, pedia na acção, intentada em Maio de 2010 no Tribunal Administrativo e Fiscal de Leiria (TAFL), 68 mil euros de compensação por perdas de lucros futuros e danos morais.

Alegava que, em reunião com a então chefe de gabinete do presidente da câmara, Luísa Féria, teria deixado ao seu cuidado 40 ilustrações originais de janelas de Marvila, com o objectivo de as poder mostrar ao então presidente da câmara, Francisco Moita Flores, para saber do interesse do município na realização de uma exposição das mesmas.

Entretanto, após contacto com a Câmara de Santarém, o autor dos quadros foi informado que a autarquia, devido ao valor envolvido na organização dessa exposição, não estava interessada na sua concretização e que as obras já tinham sido devolvidas pelo correio para a sua morada.

* Notícia completa na edição semanal de O MIRANTE.

Mais Notícias

    A carregar...

    Edição Semanal

    Edição nº 1356
    20-06-2018
    Capa Vale Tejo
    Edição nº 1356
    20-06-2018
    Capa Médio Tejo