Sociedade | 23-06-2017 11:33

Body Painting é uma arte que dá nas vistas

Body Painting é uma arte que dá nas vistas

Trabalho de body painting chamou a atenção na Feira Nacional de Agricultura, em Santarém.

Chama-se body painting (pintura corporal) e está longe de se encontrar entre as mais comuns manifestações artísticas. Daí que não surpreenda a atenção e curiosidade com que foi olhado o trabalho de Elisabete Rocha no corpo da jovem modelo Filipa Abrantes, no dia de abertura de mais uma edição da Feira Nacional de Agricultura/Feira do Ribatejo, em Santarém.

O traje de toureiro, uma espécie de segunda pele feita de tinta, deu nas vistas pelo trabalho meticuloso e colorido da artista de Óbidos e também pela nudez e curvas da modelo residente em Caldas da Rainha, não deixando indiferente que passava junto ao expositor do município de Santarém, numa das naves do Centro Nacional de Exposições. A contratação da dupla partiu do parque aquático municipal de Santarém e pode dizer-se que foi uma aposta ganha, pois se a ideia era atrair a atenção dos visitantes isso foi plenamente conseguido.

A dupla já trabalha junta há seis anos: Elisabete como criadora, Filipa como tela viva. “São obras de arte efémeras mas eficazes na interacção com o público. As pessoas valorizam o corpo e a pintura”, diz a pintora, acrescentando que se trata de uma conjugação harmoniosa entre a beleza e o sacrifício da modelo - que dá literalmente o corpo ao manifesto - e a arte da pintura.

* Notícia completa na edição semanal de O MIRANTE.

Mais Notícias

    A carregar...

    Edição Semanal

    Edição nº 1373
    17-10-2018
    Capa Vale Tejo
    Edição nº 1373
    17-10-2018
    Capa Médio Tejo