Sociedade | 26-08-2017 13:13

Noites do Pelourinho de Alverca são sucesso para continuar

1 / 19
Encerramento do ciclo de Noites do Pelourinho em Alverca
2 / 19
Encerramento do ciclo de Noites do Pelourinho em Alverca
3 / 19
Encerramento do ciclo de Noites do Pelourinho em Alverca
4 / 19
Encerramento do ciclo de Noites do Pelourinho em Alverca
5 / 19
Encerramento do ciclo de Noites do Pelourinho em Alverca
6 / 19
Encerramento do ciclo de Noites do Pelourinho em Alverca
7 / 19
Encerramento do ciclo de Noites do Pelourinho em Alverca
8 / 19
Encerramento do ciclo de Noites do Pelourinho em Alverca
9 / 19
Encerramento do ciclo de Noites do Pelourinho em Alverca
10 / 19
Encerramento do ciclo de Noites do Pelourinho em Alverca
11 / 19
Encerramento do ciclo de Noites do Pelourinho em Alverca
12 / 19
Encerramento do ciclo de Noites do Pelourinho em Alverca
13 / 19
Encerramento do ciclo de Noites do Pelourinho em Alverca
14 / 19
Encerramento do ciclo de Noites do Pelourinho em Alverca
15 / 19
Encerramento do ciclo de Noites do Pelourinho em Alverca
16 / 19
Encerramento do ciclo de Noites do Pelourinho em Alverca
17 / 19
Encerramento do ciclo de Noites do Pelourinho em Alverca
18 / 19
Encerramento do ciclo de Noites do Pelourinho em Alverca
19 / 19
Encerramento do ciclo de Noites do Pelourinho em Alverca

Iniciativa já dura há cinco anos, cada vez com mais público, e promete continuar em grande.

Trazer a cultura menos popular e menos conhecida do grande público aos moradores de Alverca e arredores: é este o objectivo a que o Núcleo Museológico de Alverca e o Cegada Grupo de Teatro se têm predisposto ao longo dos cinco anos em que já duram os espectáculos das Noites do Pelourinho de Alverca. Foi da técnica Anabela Ferreira, do Núcleo Museológico de Alverca, que partiu a ideia: ligou a Rui Dionísio, director artístico do Cegada Grupo de Teatro e do Teatro-Estúdio Ildefonso Valério, e propôs-lhe que começassem a dinamizar o largo do pelourinho de Alverca com espectáculos inovadores. Ele concordou de imediato, abraçou o projecto, juntou uma equipa de que hoje fazem parte elementos do Cegada e do Museu e começaram a convidar artistas de que os alverquenses e os outros elementos do público jamais pensariam ver ao vivo.

Esta sexta-feira, 26 de Agosto, foi o último espectáculo do ciclo de oito deste ano e contou com mais de 300 pessoas na plateia. No total das oito sessões, foram quase 2700, o que mostra o “claro sucesso que esta iniciativa tem tido entre os residentes da freguesia de Alverca e de outras freguesias e concelhos”, defende Rui Dionísio

*Reportagem completa na edição semanal de O MIRANTE

Mais Notícias

    A carregar...

    Edição Semanal

    Edição nº 1377
    15-11-2018
    Capa Vale Tejo
    Edição nº 1377
    15-11-2018
    Capa Médio Tejo