Sociedade | 01-11-2017 11:43

Funcionária na junta despedida por se apropriar de dinheiro

Tribunal vai julgar trabalhadora por ter desfalcado a Junta de Coruche em quase dez mil euros

Uma funcionária que trabalhava há 42 anos na Junta de Freguesia de Coruche foi despedida por se apropriar de dinheiro da autarquia e agora vai ser julgada por um crime continuado de peculato. A situação foi descoberta no início do ano passado, na sequência a uma auditoria às contas da junta, que em 2013 agregou as freguesias de Fajarda e Erra. A administrativa, que começou a trabalhar na autarquia aos 20 anos de idade e gozava de toda confiança dos eleitos, começou a retirar dinheiro da conta bancária e da caixa da junta de freguesia a partir de 2011, segundo apurou a investigação.


No entender do Ministério Público, a arguida, actualmente com 63 anos, agiu num quadro de dificuldades económicas, com uma situação de sobre-endividamento pessoal. A acusação destaca que a funcionária aproveitou-se do facto de ter acesso fácil a quantias monetárias da junta e de os membros do executivo da junta não conferirem os documentos contabilísticos, nem os extractos bancários. Situação que decorria, refere a acusação, do facto de os eleitos “depositarem total confiança” na funcionária. Durante cerca de cinco anos os autarcas nunca se aperceberam das discrepâncias entre os valores recebidos pela junta e os dos depósitos bancários.

Notícia completa na próxima edição semanal de O MIRANTE

Mais Notícias

    A carregar...

    Edição Semanal

    Edição nº 1373
    17-10-2018
    Capa Vale Tejo
    Edição nº 1373
    17-10-2018
    Capa Médio Tejo