Sociedade | 03-11-2017 13:30

Obras da EN 114 em Rio Maior vão andar ao ritmo do Governo

Presidente da câmara queria que fosse a autarquia a conduzir os trabalhos. Ainda não há previsões para o início da empreitada, anunciada há nove meses.

A presidente da Câmara de Rio Maior, Isaura Morais (PSD/CDS), lamenta que não seja a autarquia a conduzir o processo com vista à requalificação do troço da Estrada Nacional (EN) 114 entre o nó da auto-estrada A15 e a cidade, que vai ser tutelado pela empresa pública Infraestruturas de Portugal.

“Aquela obra não vai andar ao nosso ritmo, vai andar ao ritmo da IP”, alertou a edil na primeira reunião de câmara do mandato, onde disse ter feito pressão para que fosse o município a ser o dono da obra, mas tal não foi possível. Isaura Morais esteve em meados de Outubro com a IP e ficou a saber que só em Janeiro de 2018 vai ser lançado o concurso para o projecto e que só nessa altura será entregue o plano de expropriações à autarquia, para que esta possa começar a trabalhar por forma a garantir os terrenos necessários para a ampliação da via. “As expropriações são da nossa responsabilidade e também as indemnizações aos proprietários, mas serão feitas mediante o projecto a entregar pela IP”, explicou a autarca à vereação.

Recorde-se que, em Fevereiro deste ano, o Governo apresentou no Entroncamento o Programa de Valorização das Áreas Empresariais que prevê, entre os 11 investimentos contemplados um pouco por todo o país, a requalificação do troço da EN 114 que serve a Zona Industrial e Parque de Negócios de Rio Maior, para concretizar até 2019. Na região, estão ainda projectadas novas acessibilidades à Zona Industrial de Riachos, entre os concelhos de Torres Novas, Golegã e Entroncamento, a concretizar até 2020.

Mais Notícias

    A carregar...

    Edição Semanal

    Edição nº 1381
    13-12-2018
    Capa Médio Tejo
    Edição nº 1381
    13-12-2018
    Capa Vale Tejo