Sociedade | 24-11-2017 17:19

Porta-voz da Águas do Ribatejo diz que desconhece ter causado desconforto a autarcas

Comportamento do responsável pela comunicação e porta-voz da Águas do Ribatejo, foi abordado na última assembleia-geral da empresa de capitais unicamente públicos.

O porta-voz da Águas do Ribatejo, que foi motivo de discussão na última assembleia-geral da empresa intermunicipal, porque vários autarcas consideram que o seu comportamento põe em causa a imagem da empresa, diz que não tem conhecimento de qualquer abordagem deste assunto na reunião. Apesar de a situação ter sido confirmada pelo presidente do concelho de administração da empresa, Francisco Oliveira.

Nelson Lopes, questionado por O MIRANTE, enviou uma resposta para todos os presidentes de câmara que fazem parte da empresa. E nessa resposta refere que nunca foi abordado por qualquer desconforto de qualquer autarca, acrescentando que “os assuntos internos da Águas do Ribatejo são tratados em sede própria e nunca na praça pública”. O funcionário salienta que a empresa é a base do sustento da sua família e diz ainda: “Não admito que quem quer que seja coloque em causa o meu profissionalismo, lealdade e honra movido por qualquer tipo de interesse”.

O comportamento do responsável pela comunicação e porta-voz da Águas do Ribatejo, foi abordado na última assembleia-geral da empresa de capitais unicamente públicos, perante a preocupação e desconforto de alguns autarcas relativamente a posições assumidas por Nelson Lopes. A situação chegou à assembleia-geral, constituída pelos presidentes das câmaras de Almeirim, Alpiarça, Benavente, Chamusca, Coruche, Salvaterra de Magos e Torres Novas, uma vez que o director-geral da empresa, Moura de Campos, não tomou qualquer posição até ao momento.

Nessa assembleia-geral foram abordadas sobretudo duas situações que mais incomodaram alguns autarcas. Uma tem a ver com o facto de antes das eleições Nelson Lopes, candidato do PSD à Junta de Samora Correia, ter colocado na internet um vídeo a criticar umas obras numa rua da freguesia, que estava esburacada. Os trabalhos eram da responsabilidade da Águas do Ribatejo e ainda não estavam concluídos devido a alguns imprevistos, que eram do conhecimento do funcionário e candidato, segundo relataram alguns autarcas contactados por O MIRANTE. O caso não caiu bem a alguns presidentes de câmara, sobretudo ao autarca de Benavente e até há pouco tempo vice-presidente da empresa, Carlos Coutinho, que já tinha desabafado com colegas que se sentia atacado há algum tempo.

A outra questão tem a ver com um incêndio ocorrido num lar de idosos, no início do ano, em Salvaterra de Magos, localidade onde está instalada a sede da empresa. Alguns autarcas, ouvidos por O MIRANTE, não gostaram de ter visto Nelson Lopes no local e a colaborar com órgãos de comunicação social. O presidente de Benavente confirma que tanto esta situação como a do vídeo das obras está reportada internamente. Carlos Coutinho é parco em explicações mas confirma que “as coisas estão identificadas e que a seu tempo terão uma decisão”, acrescentando que não está a decorrer qualquer processo disciplinar.

Mais Notícias

    A carregar...

    Edição Semanal

    Edição nº 1381
    13-12-2018
    Capa Médio Tejo
    Edição nº 1381
    13-12-2018
    Capa Vale Tejo