Sociedade | 15-01-2018 18:13

Cinco sismos com epicentro no distrito de Santarém em nove anos

Cinco sismos com epicentro no distrito de Santarém em nove anos
Foto IPMA do sismo com epicentro em Rio Maior em 2016

Os sismos tiveram epicentro em Alpiarça, Cartaxo, Rio Maior e Benavente.

Desde 2009 foram registados cinco sismos com epicentro em quatro localidades do distrito de Santarém, com magnitude entre 2.5 e 3.4 na escala de Richter, sendo que dois deles tiveram origem em Benavente.

Das localidades onde os sismos tiveram epicentro nestes nove anos, contam-se também Alpiarça, Cartaxo e Rio Maior, segundo os dados disponibilizados pelo Instituto Português do Mar e da Atmosfera (IPMA), que esta segunda-feira registou um sismo com magnitude de 4.9, sentido na região e que teve o epicentro em Arraiolos.

Neste período os dois sismos com maior intensidade tiveram origem em Rio Maior (3.4) em 31 de Julho de 2016, às 15h05, e em Alpiarça (3.4) no dia 14 de Outubro de 2009, às 18h53.

Com epicentro em Benavente houve dois sismos, um com magnitude 2.8 em 1 de Setembro de 2013, às 00h50, e outro com magnitude 2.5 no dia 23 de Setembro de 2016, às 6h34.

Com epicentro no Cartaxo, os sismógrafos registaram um sismo de magnitude 2.7 no dia 19 de Fevereiro de 2015, às 7h58.

Em termos de intensidade estes sismos foram de classificação “Muito Pequeno” (de magnitude 2,0 a 2,9) que é apenas detectado por sismógrafos, e “Pequeno” (3,0-3,9), que é frequentemente sentido mas raramente causa danos.

A partir de “Moderado” (5,0-5,9) o sismo já pode causar danos importantes em edifícios mal concebidos e danos ligeiros em edifícios bem construídos.

Durante um sismo deve manter-se num local seguro e afastado de janelas, espelhos, chaminés e outros objectos que possam cair. Deve ajoelhar-se e proteger com as mãos, a cabeça e os olhos. Se estiver nos andares superiores de um edifício não tente abandonar o mesmo. As saídas podem estar bloqueadas. Se estiver no rés-do-chão e se a rua for um espaço aberto, caminhe calmamente para o meio da mesma. Utilize sempre as escadas. Corte o gás, a água e desligue a electricidade. Não acenda fósforos ou isqueiros porque há o risco de existirem fugas de gás.

Se for a conduzir, pare o seu veículo e procure espaços abertos, mantendo-se longe de objectos que possam cair como edifícios, encostas e postes de alta tensão e permaneça no interior da viatura. Durante a actividade sísmica não tente regressar a casa. Afaste-se das praias porque depois de um sismo há a possibilidade de ocorrerem tsunamis.

Os locais seguros são: Vão de portas interiores; cantos das salas; debaixo de superfícies estáveis como camas e mesas.

Mais Notícias

    A carregar...

    Edição Semanal

    Edição nº 1372
    10-10-2018
    Capa Vale Tejo
    Edição nº 1372
    10-10-2018
    Capa Médio Tejo