Sociedade | 15-01-2018 12:02

Sismo de 4,9 sentido na região do Vale do Tejo

Sismo de 4,9 sentido na região do Vale do Tejo
Foto D.R.

O sismo com epicentro em Arraiolos foi sentido no distrito de Santarém e zona de Vila Franca de Xira

Um sismo foi sentido na manhã desta segunda-feira, 15 de Janeiro, na zona do Vale do Tejo, sobretudo em muitas localidades do distrito de Santarém e nos concelhos de Vila Franca de Xira e Azambuja. Segundo o Instituto Português do Mar e da Atmosfera (IPMA), o sismo teve uma magnitude de 4,9 na escala de Richter. O sismo foi sentido várias localidades do distrito de Santarém.

"Este sismo, de acordo com a informação disponível até ao momento, não causou danos pessoais ou materiais", refere o Instituto Português do Mar e da Atmosfera em comunicado.

Desde 17 de Dezembro, segundo os registos do IPMA, este foi o sismo registado de maior intensidade, sendo que desde essa data o que tinha sido detectado com maior intensidade chegou aos 3,6 e teve epicentro em Odemira no dia 5 de Janeiro às 20h30.

A Escala de Richter indica que entre 4,0 e 4,9 o sismo é de intensidade ligeira, sentindo-se tremor notório de objectos no interior de habitações, ruídos de choque entre objectos. Nesta escala considera-se o sismo como significativo, embora seja improvável a ocorrência de danos importantes.

Entre 5,0 e 5,9 (sismo Moderado) já podem ocorrer danos importantes em edifícios mal concebidos e danos ligeiros em edifícios bem construídos.

Antes do sismo de intensidade ligeira há três níveis, o microssismo que não é perceptível pelos humanos, o sismo muito pequeno (de magnitude 2,0 a 2,9) que é apenas detectado por sismógrafos, e o sismo pequeno (3,0-3,9), que é frequentemente sentido mas raramente causa danos.

Esta segunda-feira, segundo o IPMA, já tinham sido registadas mais duas actividades sísmicas. Uma às 00h07 com epicentro em Albufeira (Algarve) e intensidade de 1,9, que não foi sentido na região, e outro às 1h25 com intensidade de 2,3 e epicentro em Marrocos.

O IPMA adverte que durante um sismo é necessário agir com rapidez e com sangue frio e que "nenhuma comunidade está totalmente preparada e equipada para atender a estas situações excepcionais".

Durante um sismo deve manter-se num local seguro e afastado de janelas, espelhos, chaminés e outros objectos que possam cair. Deve ajoelhar-se e proteger com as mãos, a cabeça e os olhos. Se estiver nos andares superiores de um edifício não tente abandonar o mesmo. As saídas podem estar bloqueadas. Se estiver no rés-do-chão e se a rua for um espaço aberto, caminhe calmamente para o meio da mesma. Utilize sempre as escadas. Corte o gás, a água e desligue a electricidade. Não acenda fósforos ou isqueiros porque há o risco de existirem fugas de gás.

Se for a conduzir, pare o seu veículo e procure espaços abertos, mantendo-se longe de objectos que possam cair como edifícios, encostas e postes de alta tensão e permaneça no interior da viatura. Durante a actividade sísmica não tente regressar a casa. Afaste-se das praias porque depois de um sismo há a possibilidade de ocorrerem tsunamis.

Os locais seguros são: Vão de portas interiores; cantos das salas; debaixo de superfícies estáveis como camas e mesas.

Mais Notícias

    A carregar...

    Edição Semanal

    Edição nº 1352
    24-05-2018
    Capa Médio Tejo
    Edição nº 1352
    24-05-2018
    Capa Vale Tejo