Sociedade | 15-03-2018 19:09

Motorista da Cercipóvoa apanhado com álcool é o novo responsável pelos transportes

Motorista da Cercipóvoa apanhado com álcool é o novo responsável pelos transportes
PÓVOA DE SANTA IRIA
Foto O MIRANTE

Decisão gerou polémica e o presidente da associação desvaloriza a situação

Um dos motoristas da Cercipóvoa, instituição da Póvoa de Santa Iria que presta apoio a pessoas com deficiência da região, que foi apanhado no dia 8 de Fevereiro de 2017 a conduzir com excesso de álcool no sangue quando transportava cinco utentes, foi agora nomeado pela direcção como responsável pelos transportes, mecânica e manutenção de viaturas da instituição.
A decisão causou polémica e uma onda de indignação na comunidade. A O MIRANTE, o presidente da instituição, José Manuel Gonçalves, confirma a nomeação mas desvaloriza a dimensão da polémica, explicando que se trata apenas de uma forma de tentar melhorar a eficácia daquele sector da instituição, que o motorista conhece bem e onde é proficiente. O motorista está impedido de transportar utentes desde que foi apanhado a conduzir com álcool e o dirigente assegura que assim vai continuar. Só pontualmente está autorizado a conduzir viaturas da Cercipóvoa.
Além da multa de trânsito o funcionário sofreu também uma suspensão de 30 dias do trabalho sem vencimento, suspensão que já cumpriu, entre Junho e Julho do ano passado. “A situação que viveu em nada lhe retira a competência demonstrada naquela área e até vai manter a mesma remuneração que já auferia, pelo que isto são meras quezílias entre colegas de trabalho que em nada beneficiam o serviço”, explica o dirigente.
José Manuel Gonçalves admite que se o funcionário não corresponder ao pretendido a decisão será revertida, garantindo que a equipa dirigente vai manter-se atenta e que a qualidade do serviço aos utentes não fica, “de nenhuma forma”, posta em causa. A gestão do parque automóvel da instituição estava centralizada no director-geral.

Denúncia à PSP tramou funcionário
Em Fevereiro do ano passado, recorde-se, o motorista em causa foi fiscalizado pela Polícia de Segurança Pública pelas 17h00 depois de uma alegada denúncia feita para a esquadra da Póvoa por um dos colegas de trabalho, que temeu pela segurança dos utentes. A polícia interceptou o autocarro e mandou-o parar já entre a Encarnação e Sacavém para efectuar o despiste de alcoolemia ao condutor.
O homem registou uma taxa acima dos 0,2 gramas de álcool por litro de sangue, o limite máximo para condutores de transportes colectivos, mas abaixo dos 0,5 que são exigidos para os restantes condutores de ligeiros. O motorista acabou por ser levado para a esquadra para ser identificado e dar seguimento ao expediente. Os cinco utentes que transportava no momento da fiscalização tiveram de ser recolhidos por outro condutor.

Mais Notícias

    A carregar...

    Edição Semanal

    Edição nº 1368
    12-09-2018
    Capa Vale Tejo
    Edição nº 1368
    12-09-2018
    Capa Médio Tejo