Sociedade | 15-03-2018 12:47

Previsto aumento do caudal do Tejo nas próximas horas

Previsto aumento do caudal do Tejo nas próximas horas
FOTO O MIRANTE

Existe a possibilidade de galgamento de margens em algumas zonas ribeirinhas.

A Protecção Civil prevê que o caudal do Tejo sofra um “aumento significativo” nas próximas horas, fazendo com que seja “elevada” a “possibilidade de galgamento de margens em algumas zonas ribeirinhas”, semelhante ao ocorrido no fim-de-semana.

Em comunicado, o Comando Distrital de Operações de Socorro (CDOS) de Santarém afirma que “a precipitação intensa que se registou” esta quarta-feira em toda a bacia hidrográfica originou o aumento das descargas das barragens de Fratel e Pracana, que “apresentam valores de 98% de capacidade de enchimento”.

Os caudais registados em Almourol, com valores inferiores aos 1.800 metros cúbicos por segundo, apontam “para uma descida”.

Segundo o CDOS de Santarém, as barragens de Fratel, Pracana e Castelo de Bode têm debitado nas últimas horas valores com flutuação entre os 1.500 e os 2.000 metros cúbicos por segundo “no conjunto das barragens, com algumas oscilações”, esperando-se “uma subida das alturas hidrométricas” durante o dia de hoje.

Esta situação levou já a que, a exemplo do que aconteceu no passado fim-de-semana, tenham ficado submersos o parque de estacionamento de Constância junto ao rio Zêzere, parcialmente; a ponte dos Alcaides, São Vicente do Paúl, no concelho de Santarém; a Estrada Municipal 590, entre Couço e Santa Justa, em Coruche; o Caminho Municipal entre Setil e Ponte do Reguengo, no Cartaxo; e campos agrícolas na zona do Patacão, em Alpiarça.

Para as próximas horas, o CDOS prevê um “aumento significativo do caudal do rio Tejo, com “elevada possibilidade de galgamento de margens em algumas das zonas ribeirinhas, com efeitos idênticos aos do fim-de-semana passado”, esperando-se a submersão da Estrada Nacional 365 na ponte do rio Alviela, entre os concelhos de Santarém e da Golegã.

O Plano Especial de Emergência na Bacia do Tejo, que no sábado foi accionado em nível amarelo, mantém-se desde a noite de domingo em nível azul, o mais baixo dos quatro possíveis (azul, amarelo, laranja e vermelho, o mais grave).

O CDOS mantém o conselho às populações ribeirinhas para que retirem bens, equipamentos e animais de zonas normalmente inundáveis e para que não atravessem, com viaturas ou a pé, estradas ou zonas alagadas.

Mais Notícias

    A carregar...

    Edição Semanal

    Edição nº 1363
    08-08-2018
    Capa Vale Tejo
    Edição nº 1363
    08-08-2018
    Capa Médio Tejo