Sociedade | 22-03-2018 08:19

Fábrica construída ilegalmente em Vilar dos Prazeres não cumpre limites de ruído

Fábrica construída ilegalmente em Vilar dos Prazeres não cumpre limites de ruído
Foto O MIRANTE

Caso arrasta-se há vários anos e foi um cidadão a denunciar o caso que se passa num terreno contíguo ao seu. Ordem de demolição dos pavilhões nunca foi cumprida.

A fábrica da Sociedade Industrial de Móveis Vilarense, em Vilar dos Prazeres, concelho de Ourém, não está a cumprir os limites de ruído. A informação foi dada pelo presidente da Câmara de Ourém, Luís Albuquerque (PSD/CDS), em sessão do executivo municipal explicando que contrataram uma empresa especializada que fez três avaliações de ruído ambiental ao local. “Concluíram que não estão a ser cumpridos os limites de ruído”, referiu. A empresa será agora notificada para regularizar a situação. Caso tal não aconteça, a Câmara de Ourém pode avançar com um processo-crime contra a empresa.


Como O MIRANTE tem vindo a noticiar, o vizinho desta fábrica, Joaquim Soares, anda há vários anos a alertar a Câmara de Ourém que a empresa situada num terreno contíguo ao seu, em Vilar dos Prazeres, continua a funcionar apesar dos pavilhões que circundam a sua casa terem sido construídos ilegalmente. A situação é do conhecimento do município mas, apesar da obra ter sido embargada em 2015 pela autarquia [durante o mandato do socialista Paulo Fonseca], a empresa continua a funcionar diariamente. E sempre que Joaquim Soares se queixou à câmara municipal desta situação foi multado pela autarquia por supostas irregularidades na sua moradia que o mesmo contesta.

Notícia completa na edição semanal de O MIRANTE AQUI

Mais Notícias

    A carregar...

    Edição Semanal

    Edição nº 1381
    13-12-2018
    Capa Médio Tejo
    Edição nº 1381
    13-12-2018
    Capa Vale Tejo