Sociedade | 23-03-2018 15:06

Doença não roubou os sonhos a Nuno

Doença não roubou os sonhos a Nuno
Foto O MIRANTE

Aos 31 anos, Nuno Vicente está a tirar o mestrado e já pensa no doutoramento. O objectivo é ser professor, diz o jovem que não gosta de ser visto como um exemplo.

Nuno Vicente tem 31 anos, é natural da aldeia de Casal de Além, concelho de Azambuja, e sofre de osteogénese imperfeita, também conhecida como doença dos ossos de vidro, que o atirou para um cadeira de rodas. Não sabe o que é viver sem esta doença rara desde os três anos de idade, altura em que se manifestou. As limitações impostas pela doença nunca o privaram de sonhar e apesar de levar à letra a máxima de viver um dia de cada vez, tem vários projectos que gostava de realizar. “Tenho como prioridade defender os mais fracos e as pessoas com limitações”, revela em conversa com O MIRANTE.


Nuno é licenciado em Ciência Política e está prestes a concluir o segundo ano do mestrado, também em Ciência Política, no ISCTE, e não pensa colocar já de lado os estudos. “Devo defender a tese em Julho ou Setembro, mas estou a pensar em tirar um doutoramento”, diz. Em tempos sonhou ser juiz, mas por décimas não conseguiu entrar na licenciatura em Direito e seguiu a área da política. Actualmente o desejo passa por dar aulas. “Gostava muito de ser professor. Gosto de Política e de Direito”, conta, revelando que gosta de cadeiras onde se possa reflectir sobre as desigualdades sociais.

Reportagem completa para ler na edição semanal de O MIRANTE AQUI

Mais Notícias

    A carregar...

    Edição Semanal

    Edição nº 1363
    08-08-2018
    Capa Vale Tejo
    Edição nº 1363
    08-08-2018
    Capa Médio Tejo