Sociedade | 11-05-2018 15:26

Centenas de peregrinos em Fátima para a peregrinação de maio

Centenas de peregrinos em Fátima para a peregrinação de maio
Foto O MIRANTE

A peregrinação termina no domingo com missa, bênção dos doentes e procissão do adeus, a partir das 10h00.

Centenas de peregrinos já se encontram em Fátima para a peregrinação internacional aniversária de maio ao santuário, um ano após a visita do papa Francisco e a canonização de Francisco e Jacinta Marto.

Nos parques nas imediações do santuário já acampam fiéis e estacionam-se autocaravanas, mas ainda sobram muitos lugares, um contraste com a peregrinação de 12 e 13 de maio de 2017, quando passavam 100 anos sobre os acontecimentos na Cova da Iria, constatou hoje a agência Lusa.

“A confusão era total”, recordou José Cunha, de 72 anos, que, à semelhança do ano passado, cedo se instalou para as celebrações da primeira grande peregrinação do ano ao maior templo mariano do país.

Acompanhado da mulher, o peregrino, de Vizela, distrito de Braga, chegou na segunda-feira de manhã a Fátima e espera regressar a casa no domingo, após as cerimónias religiosas.

“Há um ano estava precisamente aqui”, no mesmo parque, relatou José Cunha, explicando que, apesar dos milhares de peregrinos e da confusão, conseguiu ver o papa Francisco duas vezes.

Sobre mais uma deslocação à cidade-santuário, o peregrino justifica-se: “Fátima é onde me sinto bem, mas não é só rezar. Sinto-me em paz”.

Depois de elencar os locais que vai percorrendo pela cidade por estes dias, José Cunha acrescentou que a mulher cumpre uma promessa, depois de ter visto ultrapassado um problema nos pés.

“Milagre, coincidência, medicamentos?”, pergunta-se, saindo-lhe esta resposta imediatamente: “Não sei explicar”.

Não muito distante da autocaravana de José Cunha estava a de Manuel Mendes, de 64 anos, de Lousada, Porto, que à pergunta “onde estava a 13 de maio de 2017”, responde com um sorriso de grande satisfação: “Estava aqui, vi o papa, estive à beirinha dele”.

“Foi um momento especial”, confessou Manuel Mendes, desde sábado a residir na autocaravana em Fátima.

Sentado no interior de uma tenda, Américo Bonito Santos, peregrino de 69 anos da Póvoa do Varzim, distrito do Porto, adivinha a questão com a frase “também vi” o papa Francisco, como também viu os antecessores Bento XVI e João Paulo II em Fátima.

“Há 40 anos que nunca faltei a uma peregrinação de maio”, afiançou Américo Bonito Santos, na “casa” que tornou a montar para a peregrinação e onde manifestou à Lusa um carinho especial pelo papa João Paulo II, que peregrinou três vezes a Fátima.

Do sul, de Poceirão, distrito de Setúbal, o casal Rosália e Pascoal Marques chegou na quarta-feira a Fátima “para ficar até domingo”.

“Fátima é Fátima”, afirmou Pascoal, de 56 anos, sem mais delongas, para apenas precisar que, sempre que se faz a norte na autocaravana, a primeira noite é, invariavelmente, na cidade-santuário.

A mulher, Rosália de 57 anos, acompanhou a peregrinação do papa Francisco pela televisão.

“Vi na televisão, com pena de não estar cá, vi tudo”, contou Rosália Marques.

A peregrinação internacional aniversária de maio ao Santuário de Fátima, no distrito de Santarém, é presidida pelo cardeal John Tong, bispo emérito de Hong Kong, e tem como tema “Tempo de graça e misericórdia: dar graças pelo dom de Fátima”.

As cerimónias, 101 anos depois dos acontecimentos na Cova da Iria, começam às 18h30 de sábado, na Capelinha, e três horas mais tarde é recitado o terço, seguido da procissão das velas e missa.

A peregrinação termina no domingo com missa, bênção dos doentes e procissão do adeus, a partir das 10h00.

Mais Notícias

    A carregar...

    Edição Semanal

    Edição nº 1368
    12-09-2018
    Capa Vale Tejo
    Edição nº 1368
    12-09-2018
    Capa Médio Tejo