Sociedade | 23-07-2018 19:02

Terrenos da MaisOurém voltam para a posse do município

Parceria público-privada que envolvia na mesma sociedade a Câmara de Ourém e empresas privadas acabou por redundar em fracasso.

Os terrenos que pertenciam à MaisOurém – desde que esta parceria público-privada foi criada em 2008 e onde a autarquia detém 49 por cento (%) do capital - reverteram para a Câmara de Ourém. A escritura da posse dos terrenos - nos quais se incluem o Estádio Municipal de Fátima (actual Estádio Papa Francisco) e cerca de 16 hectares de terrenos adjacentes ao equipamento e terrenos do areeiro do Carregal – ocorreu no dia 21 de Junho. O presidente da Câmara de Ourém, Luís Albuquerque (PSD/CDS), referiu, em sessão de assembleia municipal, que este processo vai custar cerca de 80 mil euros ao município.
“Desses 80 mil euros o município vai ser ressarcido em cerca de dez mil euros que é o valor de IMI [Imposto Municipal sobre Imóveis] que vamos ter que pagar e que a câmara depois vai receber”, explicou, acrescentando que pagaram cerca de 3.800 euros de honorários ao advogado responsável por este processo.
A O MIRANTE (ver edição 28 Junho 2018), Albuquerque já tinha acusado o anterior executivo municipal, liderado pelo socialista Paulo Fonseca, de “pouco ou nada ter feito” para resolver o imbróglio criado com a empresa MaisOurém, que se encontra em liquidação.

Mais Notícias

    A carregar...

    Edição Semanal

    Edição nº 1381
    13-12-2018
    Capa Médio Tejo
    Edição nº 1381
    13-12-2018
    Capa Vale Tejo