Sociedade | 17-08-2018 18:03

Santo Estêvão tem quartel mas não tem bombeiros

Santo Estêvão tem quartel mas não tem bombeiros
Em Santo Estêvão existe um quartel, actualmente fechado por falta de voluntários. A foto é de 2011

Moradores sentem-se inseguros e pedem reabertura desse equipamento.

Cerca de 200 moradores de Santo Estêvão, freguesia do concelho de Benavente, estão apreensivos e assinaram uma petição exigindo a reabertura do quartel dos bombeiros situado naquela localidade e que está fechado há alguns anos, tendo os meios aí existentes sido transferidos para Benavente.

“O mais insólito é o facto de diversas entidades e particulares terem doado, à então chamada secção de bombeiros de Santo Estêvão, veículos e meios mecanizados destinados à protecção civil e ao serviço do corpo de bombeiros [três ambulâncias e uma viatura de combate a incêndios] e esta ter sido, posteriormente, desactivada e os veículos e equipamentos terem sido deslocados para o quartel de Benavente, em prejuízo da freguesia e dos seus habitantes”, refere a petição que fala mesmo de uma “grave e perigosa” lacuna nos serviços de protecção civil.


No entanto, o recém-aprovado Plano Municipal de Emergência de Protecção Civil de Benavente destaca que o quartel de Santo Estêvão deve continuar encerrado por não existirem lá voluntários nem bombeiros disponíveis para assegurar o serviço. Por isso, o socorro está centralizado nos quartéis de Samora Correia e Benavente.

Meios de socorro estão a 17 quilómetros
Sempre que é preciso socorro na zona de Santo Estêvão a resposta é assegurada pela corporação de Benavente, a que fica mais perto, a 17 quilómetros de distância. Mas como Santo Estêvão é uma freguesia rural, com áreas de floresta e montado, quem ali vive teme que um incêndio venha a causar fortes danos a pessoas e bens. O incêndio recente em Samora Correia veio novamente avivar esses receios.

NOTÍCIA COMPLETA NA EDIÇÃO EM PAPEL JÁ NAS BANCAS

Mais Notícias

    A carregar...

    Edição Semanal

    Edição nº 1368
    12-09-2018
    Capa Vale Tejo
    Edição nº 1368
    12-09-2018
    Capa Médio Tejo