Sociedade | 24-08-2018 15:26

Incêndio em acampamento desactivado no Vale de Santarém

Fogo foi combatido pelos bombeiros municipais e voluntários de Santarém auxiliados pela Afocelca.

Um incêndio destruiu, na noite desta quinta-feira, 23 de Agosto, várias habitações precárias de um acampamento situado no Vale de Santarém, concelho de Santarém, que se encontra desabitado, disse fonte da Protecção Civil e da autarquia.

Segundo o Comando Distrital de Operações de Socorro (CDOS) de Santarém, o alerta de incêndio habitacional foi dado cerca das 19h14 de quinta-feira, tendo o fogo sido combatido pelos bombeiros municipais e voluntários de Santarém auxiliados pela Afocelca (Agrupamento Complementar de Empresas para Proteção Contra Incêndios), dada a existência de uma mancha florestal na proximidade, que não foi afectada.

O acampamento situa-se próximo do “pinheiro das areias”, árvore com cerca de 300 anos classificada como de interesse público, ‘ex-líbris’ da freguesia do Vale de Santarém.

Manuel Custódio, presidente da Junta de Freguesia do Vale de Santarém, disse que o incêndio terá afectado essencialmente duas da cerca de uma dezena de construções abarracadas.

Os antigos moradores receberam ordem de despejo, com prazo limite de saída até ao próximo dia 7 de Setembro, na sequência do desfecho de um processo judicial que os opunha aos proprietários do terreno e que perderam.

O presidente da Câmara de Santarém, Ricardo Gonçalves, disse que os serviços sociais do município, a Junta de Freguesia do Vale de Santarém e técnicos da Segurança Social têm mantido várias reuniões com os residentes, tendo a indicação de que já nenhuma família habita naquele local.

Ricardo Gonçalves afirmou que as famílias, num total de cerca de meia centena de pessoas, puderam recorrer aos mecanismos de apoio do município, que financia metade do valor da renda dentro de um limite estipulado pelos regulamentos camarários.

Por outro lado, foi facultada a possibilidade de receberem formação em contexto de trabalho, em colaboração com o Centro de Emprego, havendo a indicação de que apenas uma família solicitou uma reunião para este fim.

Ricardo Gonçalves disse que o parque habitacional do município, com mais de 300 fogos espalhados por vários bairros da cidade, não tem habitações disponíveis, existindo por isso mecanismos de apoio ao arrendamento para situações referenciadas pelos serviços de Acção Social.

A Câmara de Santarém está a proceder a um levantamento para verificação das necessidades de reabilitação do seu parque habitacional, processo que tenciona realizar em duas fases nos próximos dois anos, a primeira recorrendo a fundos comunitários no âmbito do Plano Estratégico de Desenvolvimento Urbano, que abrange os bairros de Alfange e da Ribeira de Santarém, e a segunda com fundos próprios, afirmou.

Manuel Custódio afirmou que, assim que for encerrado o processo de desactivação do acampamento, a junta vai assinar um protocolo com o proprietário para criar uma zona de protecção do “pinheiro das areias”, estando prevista uma intervenção para sustentação das barreiras que suportam as raízes da árvore e outra para melhoria dos acessos.

“Queremos criar condições para as pessoas puderem visitar” o espaço, afirmou, adiantando que o proprietário quer igualmente reabilitar a área florestal, que se encontra cheia de lixo e detritos.

Mais Notícias

    A carregar...

    Edição Semanal

    Edição nº 1368
    12-09-2018
    Capa Vale Tejo
    Edição nº 1368
    12-09-2018
    Capa Médio Tejo