Sociedade | 02-12-2018 12:30

Juvenis de futsal do União Entroncamento querem sair mas o clube não deixa

Juvenis de futsal do União Entroncamento querem sair mas o clube não deixa

Jogadores pedem rescisão do contrato para poderem jogar noutros emblemas mas a direcção do clube tem-se recusado a passar a carta que os liberta.

Alguns jogadores juvenis de futsal do União Futebol Entroncamento (UFE) manifestaram-se nas bancadas do pavilhão municipal da cidade no domingo, 25 de Novembro, durante o jogo da sua equipa com o Núcleo Sportinguista de Torres Novas. Com gritos e um cartaz a pedir a rescisão, os jogadores fizeram questão de mostrar o seu descontentamento com a direcção do clube, que os está a impedir de irem para outros clubes.
Ao todo, são seis os jogadores que se recusam a jogar e pretendem sair para clubes vizinhos, nomeadamente o Casal do Grilo e o Núcleo Sportinguista de Torres Novas. Esta é uma situação atípica que, no limite, pode deixar a equipa de juvenis sem jogadores para competir. Após o jogo, O MIRANTE ainda questionou Marco Café, vice-presidente do clube, que se remeteu ao silêncio e não quis prestar qualquer esclarecimento sobre o assunto.

João Faria jogava há cinco épocas no futsal do UFE e era capitão de equipa. Para o jovem, que pratica esta modalidade desde os quatro anos, é uma grande injustiça o que se está a passar. “A verdade é que eles não ganham nada com isso e nós não podemos jogar noutros clubes porque falta a carta de rescisão”, adiantou o jovem que se encontra neste momento a treinar no Casal do Grilo.

Notícia completa na edição de O MIRANTE já nas bancas

Mais Notícias

    A carregar...

    Edição Semanal

    Edição nº 1380
    05-12-2018
    Capa Vale Tejo
    Edição nº 1380
    05-12-2018
    Capa Médio Tejo