Sociedade | 13-02-2019 12:30

Uma empresária num mundo onde os homens ainda dominam

Uma empresária num mundo onde os homens ainda dominam
IDENTIDADE PROFISSIONAL

Maria Amélia Sousa Macedo, 53 anos, é gerente da Autogirar – Sociedade Comercial de Automóveis, Lda., em Santarém, onde trabalha juntamente com o pai, o marido e duas irmãs.

Maria Amélia Macedo, 53 anos, sócia-gerente da Autogirar – Sociedade Comercial de Automóveis, Lda., representante oficial das marcas Nissan e Mitsubishi em Santarém, formou-se na área do turismo, mas, na hora de iniciar a sua vida profissional, acabou por ir trabalhar, juntamente com o seu marido, na empresa fundada pelo pai, Jaime Carvalho, em 1971. Actualmente, com três filhos maiores, o seu dia-a-dia divide-se entre a parte da gestão da empresa e a sua vida familiar.

Nascida e criada em Santarém, Maria Amélia Macedo sempre foi uma jovem sociável e com jeito para as línguas, tendo tirado a licenciatura em Turismo no Instituto Superior Novas Profissões, em Lisboa, e, logo de seguida, fez um curso de Guia Turística na mesma instituição de ensino superior. “Foi nessa altura que o meu pai nos desafiou, a mim e ao meu marido, para irmos trabalhar na sua empresa”, conta a gerente, recordando que, na altura, ainda lhe custou trocar a agitação de Lisboa para voltar às suas raízes, mas rapidamente se habituou de novo a viver em Santarém, onde acabou por ter maior qualidade de vida.

Mais ligada à parte da gestão da empresa, o dia-a-dia de Maria Amélia Macedo é passado em frente ao computador, entre papéis, reuniões e a realizar as tarefas domésticas. “Os meus dias nunca são iguais. Tanto posso estar a tratar de papelada como posso estar em reuniões fora do escritório”, adianta a empresária, acrescentando que os fins-de-semana costumam ser passados em família.

“Não invejo nada nos homens”
Maria Amélia Macedo confessa que a maior dificuldade que sentiu quando entrou no negócio do ramo automóvel foi o facto de este ser, na sua maioria, dominado por homens, sobretudo em funções de chefia. Algo que nunca a intimidou, tendo mesmo acabado por ser convidada para ser presidente da Associação de Concessionários da NISSAN. “Não invejo nada nos homens e gosto mesmo de ser mulher. Considero que homens ou mulheres têm características próprias que não são determinadas pelo sexo. Mas, em 29 anos, muita coisa mudou e penso que estamos no caminho da mudança”, defende.

Para a empresária, Santarém, apesar de ser uma terra linda, muito bem localizada e com muito potencial, encontra-se neste momento completamente ao abandono. “Basta ver o estado em que se encontra o centro histórico: completamente sujo, pouco iluminado e tudo muito pouco cuidado”, lamenta, acreditando que, ainda assim, as coisas estão a inverter-se. “Já se vê mais gente a investir e a recuperar casas em Santarém”. O problema agora, adianta, é sobretudo a falta de desenvolvimento da nossa região. Precisamos de desenvolver todo o nosso distrito e principalmente o concelho de Santarém, de modo a que se consigam criar postos de trabalho e trazer gente jovem para dar vida à nossa cidade”.

A trabalhar no mundo dos automóveis há mais de 25 anos, Maria Amélia Macedo admite que o futuro está nos veículos eléctricos, mas não será para já, como o Governo português deseja. Segundo a empresária, as pessoas ainda não estão preparadas para ter esse tipo de carros e para além disso, existem já outras alternativas que juntam o eléctrico aos motores de combustão. Ainda assim, garante, “não há dúvida que são os melhores a nível ambiental, pois não poluem e temos de pensar seriamente em melhorar o nosso planeta”.

Mais Notícias

    A carregar...

    Edição Semanal

    Edição nº1391
    20-02-2019
    Capa Médio Tejo
    Edição nº1391
    20-02-2019
    Capa Vale Tejo