uma parceria com o Jornal Expresso

Edição Diária >

Edição Semanal >

Assine O Mirante e receba o jornal em casa
31 anos do jornal o Mirante

Girassol de malas aviadas

Jardim de infância da Segurança Social não reúne condições exigidas

A Segurança Social vai encerrar o jardim de infância Girassol em Santarém que ela própria tutela. As razões prendem-se com o incumprimento de normas exigidas por lei. António Campos, responsável pelo Centro Distrital de Santarém é peremptório. “Se exigimos aos outros também temos que cumprir”.

Edição de 23.04.2003 | Sociedade
O jardim de infância Girassol, tutelado pelo Centro Distrital de Segurança Social de Santarém, tem os dias contados nos actuais moldes. O espaço, localizado na Rua Passos Manuel, junto ao Governo Civil de Santarém, não oferece as condições exigidas pelo próprio organismo que o administra e deverá mudar não só de espaço como de entidade gestora.“A questão do jardim de infância Girassol precisa de ser reenquadrada, porque há regras que têm de ser cumpridas. Se as exigimos aos outros também temos de as cumprir”, afirmou ao nosso jornal António Campos, director distrital da Segurança Social. A antiguidade das instalações, a necessitarem de uma remodelação profunda, é uma das razões para o possível encerramento do actual espaço.António Campos reconhece que “o ideal seria mudar de sítio”, estando a Segurança Social a estudar alternativas. Embora a possibilidade de se efectuarem obras de readaptação naquele local ainda não esteja colocada fora de hipótese. “Está tudo em aberto”, observa.Além disso, prosseguem os contactos com duas instituições particulares de solidariedade social (Associação para o Desenvolvimento Social e Comunitário de Santarém e Centro Social Interparoquial de Santarém), podendo uma delas assumir a gestão daquela valência, a única do género que a Segurança Social tutela no distrito. “Essas instituições estão mais vocacionadas para essas funções do que nós. O nosso objectivo principal não é gerir, mas sim apoiar equipamentos destes”, justifica o director da Segurança Social, lembrando que este cenário já vinha sendo equacionado há algum tempo.No meio de toda esta indefinição, subsiste a garantia de António Campos de que as crianças que actualmente frequentam aquele equipamento têm colocação assegurada noutra instituição, caso as actuais instalações sejam encerradas já no próximo ano lectivo.

Mais Notícias

    A carregar...