uma parceria com o Jornal Expresso

Edição Diária >

Edição Semanal >

Assine O Mirante e receba o jornal em casa
31 anos do jornal o Mirante

A terceira tentativa

Rui Silva é o cabeça de cartaz do “seu” grande prémio de atletismo

Rui Silva é a estrela do IV grande prémio com o seu nome, que se vai realizar no dia 24 de Abril, sábado, no Cartaxo. O campeão mundial dos 1.500 metros em pista coberta nos mundiais de 2001 em Lisboa e que este ano já se sagrou vice-campeão mundial de 3.000 metros em pista coberta, vai surgir a meio gás mas não descura a possibilidade de vencer pela primeira vez a prova, criada em sua homenagem.

Edição de 14.04.2004 | Desporto
É desta que vai estar em forma no “seu” Grande Prémio?Esta é sempre uma altura crítica. Venho do campeonato do mundo, fiz uma pequena paragem de cerca de três semanas, e a forma veio por ai abaixo. Comecei a treinar há três semanas, mas a forma não vem de um dia para o outro. Mas nos outros anos foi mais ou menos o mesmo e acabei sempre por correr dentro das minhas expectativas e este ano não deve fugir à regra. Não vou dizer que é para ganhar, mas se isso acontecer ficarei contente porque estou a perseguir esse objectivo já há três anos.Quais são os adversários que teme mais?Ainda não estou bem a par dos nomes que estão inscritos, até porque ainda faltam alguns dias, mas toda a gente merece respeito. Essa é sempre a minha filosofia e não é agora que vou mudar.A distância de oito quilómetros, nesta fase da época, é muito ou pouco?Nesta fase da época os oito quilómetros encaixam-se mais facilmente do que se fosse uma prova mais curta em que deveria ter outro tipo de treino mais aperfeiçoado e mais afinado. Os oito quilómetros é uma distância que não é curta, mas que também não é muito longa. Tenho feito esta prova sempre com 15 dias a três semanas de treino e tem corrido mais ou menos.O percurso é praticamente o mesmo dos anos anteriores e é algo difícil…É um percurso enganador. É bastante rápido mas torna-se também bastante difícil porque tem duas fases muito importantes. A subida da rua Stael Machado e a zona da Ribeira do Cartaxo, que parecem fáceis, mas são muito difíceis.Este é ano de Jogos Olímpicos. É para repetir a vitória dos mundiais de Lisboa?Vontade não falta mas temos de esperar para ver como é que as coisas correm até lá. As pessoas podem pensar que quando ficamos em quinto ou sexto foi porque não nos apeteceu correr mais, mas não é assim. Tento sempre chegar o mais longe possível e se não conseguir o meu objectivo sou a primeira pessoa a ficar contrariada.Mas o grande objectivo da época é uma medalha em Atenas …Estou a fazer tudo para que consiga chegar lá e fazer a melhor prestação possível, que pode passar por um lugar no pódio, mas também pode passar por nem sequer passar à final. É preciso também ter um bocadinho de sorte.Já definiu que distância vai correr?Ainda não. Só mais perto.Mais pequenoscorrem pela liberdadeNo dia 25 de Abril, dia seguinte ao grande prémio Rui Silva, a Câmara do Cartaxo promove as Corridas da Liberdade, provas destinadas aos mais pequenos que se realizam na nova pista do estádio municipal da cidade.As provas iniciam-se às 10h00 e destinam-se a atletas nascidos entre 87 e 98, divididos pelos escalões de minis, escolas, benjamins, infantis, iniciados e juvenis, que correrão distâncias entre os 200 metros (minis) e os três quilómetros (juvenis).O vereador com o pelouro do Desporto na Câmara do Cartaxo, Pedro Ribeiro salientou a importância do grande prémio para o aumento da prática desportiva, nomeadamente do atletismo. “Desde que implementámos o Grande Prémio Rui Silva aumentou bastante o número de participantes na corrida da liberdade. Pensamos inaugurar o estádio municipal no final do mês de Junho, princípios de Julho. E pensamos existirem as condições ideias para encarar um grande projecto de desenvolvimento desportivo à volta do atletismo. O surgimento deste grande prémio não foi inocente. Foi também para usar a imagem do Rui para promover a pratica desportiva”, disse o autarca.Mais prémios para os portuguesesA IV edição do Grande Prémio Rui Silva é marcada ainda pela atribuição de prémios aos dez melhores atletas masculinos portugueses e às cinco melhores femininas, para além dos já existentes, num total de cerca de dez mil euros e 108 troféus. Outra das alterações para este ano é a zona da partida, que passa da zona fronteiriça à Junta de Freguesia do Cartaxo para o largo da Igreja Matriz. O percurso, com um total de oito quilómetros, mantém-se no seu essencial pelo centro da cidade.O orçamento total para este ano rondou os 28 mil euros, metade pagos pela autarquia, a outra metade por patrocinadores privados. A organização espera a participação de mais de um milhar de atletas, número muito superior aos 700 que marcaram presença no ano passado.O grande prémio realiza-se no dia 24 de Abril e inicia-se às 21 horas, com a corrida para juniores e veteranos, mas a corrida principal tem o tiro de partida marcado para as 22 horas. As inscrições estão abertas até dia 22 e custam 1.50 euros.

Mais Notícias

    A carregar...