uma parceria com o Jornal Expresso

Edição Diária >

Edição Semanal >

Assine O Mirante e receba o jornal em casa
31 anos do jornal o Mirante
Azambuja homenageia o bombeiro voluntário

Azambuja homenageia o bombeiro voluntário

Estátua em fibra de vidro custou quase 15 mil euros
Edição de 07.09.2005 | Sociedade
Um bombeiro, de ar compenetrado, olhos postos nas chamas, ajuda a combater mais um incêndio. É esta a imagem da estátua colocada no centro da vila de Azambuja pela junta de freguesia para homenagear os soldados da paz.A obra, inaugurada ao final da tarde de domingo junto ao Banco Millenium, não é apenas um tributo ao bombeiro voluntário de Azambuja. Para o presidente da Junta de Freguesia de Azambuja, António Amaral, é também uma homenagem a todos aqueles que por todo o país travam uma dura batalha contra o fogo.“Todos somos pagos para fazer aquilo que fazemos. Estes homens e mulheres são pagos pelo carinho e reconhecimento que possamos dar-lhes”, sublinhou o autarca.A estátua de homenagem aos soldados da paz era já uma aspiração antiga da Associação dos Bombeiros Voluntários de Azambuja, que no entanto nunca teve possibilidades financeiras para avançar com o projecto. A obra, que custou cerca de 15 mil euros, acabou por ser encomendada pela Junta de Freguesia de Azambuja. António Faustino e Augusto Balacó, artistas de Alcobaça, foram os escultores da obra esculpida em fibra de vidro.A escultura agradou sobretudo aos bombeiros voluntários que estiveram presentes na cerimónia. “É um monumento que dignifica o nome dos Bombeiros Voluntários de Azambuja e de todos os bombeiros deste país”, observou o comandante da corporação, Pedro Cardoso. Na inauguração estiveram também representadas várias colectividades do concelho que quiseram associar-se à cerimónia.Para o presidente da assembleia geral da Associação dos Bombeiros Voluntários de Azambuja, António Duarte, que representou também a Liga dos Bombeiros Portugueses, este foi o cumprir de um sonho antigo do bombeiro de Azambuja. É um tributo àqueles que oferecem as horas dos seus dias. “E todos os nomes estão escritos em letras que não se vêem, mas que a população consegue ver”, concluiu.
Azambuja homenageia o bombeiro voluntário

Mais Notícias

    A carregar...