uma parceria com o Jornal Expresso

Edição Diária >

Edição Semanal >

Assine O Mirante e receba o jornal em casa
31 anos do jornal o Mirante
Tomarpolis extinta no final de 2008 por ordem do Ministério das Finanças

Tomarpolis extinta no final de 2008 por ordem do Ministério das Finanças

As obras por concluir no final da liquidação da sociedade passarão para a alçada do município
Edição de 04.07.2007 | Sociedade
A Sociedade Tomarpolis, criada para gerir a evolução dos projectos e obras Polis em Tomar, entrou em fase de liquidação. O funcionamento da empresa irá manter-se até Dezembro de 2008. A ordem chegou durante o mês de Junho do Ministério das Finanças, que contrariou desta forma a possibilidade já garantida à autarquia pelo gabinete Polis de que iria ser prolongado o funcionamento do programa de reabilitação. Apesar de entrar em fase final de funcionamento, a Tomarpolis vai continuar a desenvolver o trabalho previsto, nomeadamente a execução do projecto para o Flecheiro - que inclui a nova ponte de Tomar e a envolvente à Igreja de Santa Maria dos Olivais (fase 1 e fase 2) – assim como a conclusão do plano de pormenor para a zona do Açude de Pedra. O presidente da Câmara de Tomar, António Paiva (PSD), enfrenta o final da Tomarpolis sem dramas, uma vez que está garantida a conclusão do que estava previsto ser executado pela empresa, mas que deveria ter ficado concluído em Abril deste ano. O relógio Polis, situado junto à rotunda Alves Redol, já chegou ao zero na contagem decrescente e, segundo o autarca, não está a ser equacionada a possibilidade de voltar a funcionar, nem sequer que seja retirado. “Fica para recordação”, ironiza António Paiva. No relatório enviado à autarquia, a direcção que gere o programa Polis de Tomar admite que existiram atrasos na concretização dos planos de pormenor, que consequentemente provocaram “deslizamentos na data de início de alguns projectos”. António Paiva explica que a demora na apresentação dos planos deveu-se à tentativa de debater com profundidade tudo o que estava a ser planeado, para conseguir que unanimidade na sua aprovação. Uma tentativa gorada, já que pelo menos neste mandato todos os planos de pormenor levados às reuniões do executivo mereceram o voto contra da oposição. A Tomarpolis já apresentou à câmara local os projectos e obras que pretende concluir durante a fase de liquidação. O Plano de Pormenor do Flecheiro e Mercado está em fase de aprovação. Falta apenas o voto da assembleia municipal. Segue-se o Plano de Pormenor do Parque Desportivo ao Açude de Pedra, que se perspectiva ser colocado a votação em Dezembro, na mesma data em que a Tomarpolis apresenta o Plano de Pormenor da área de Reconversão Urbana de Bacelos. Todos estes planos entrarão em execução durante a vigência da empresa, com conclusão prevista para o final de 2008.Além das obras, a Tomarpolis é também responsável pela criação dos projectos que irão ser posteriormente executados. São eles o projecto Cidade Viva-Ciência Viva e o do Parque Urbano de Tomar. António Paiva quer candidatá-los a fundos do QREN - Quadro de Referência Estratégica Nacional. Por concluir estão também algumas empreitadas. É o caso do Mouchão e Várzea Pequena, Flecheiro e Mercado e remodelação do Açude do Mercado e ainda os arranjos exteriores e arruamentos do Flecheiro e do Mercado, cuja abertura de concurso público está para breve. Se todas as obras e projectos que falta fazer não estiverem concluídos até ao fim do período de liquidação da Tomarpolis, esta transfere a sua posição contratual para a Câmara de Tomar. A nova calendarização de obras e projectos apresentada este mês pela Tomarpolis levou a um reenquadramento financeiro da empresa, com redução do valor de investimento e financiamento em 1.563.034 euros. Trata-se de uma diminuição de cerca de 6,2 por cento, quando comparado com os valores aprovados na reprogramação financeira de Julho de 2004.
Tomarpolis extinta no final de 2008 por ordem do Ministério das Finanças

Mais Notícias

    A carregar...