uma parceria com o Jornal Expresso

Edição Diária >

Edição Semanal >

Assine O Mirante e receba o jornal em casa
31 anos do jornal o Mirante

Candidaturas das comissões vitivinícolas regionais a certificadoras acabam este mês

Edição de 26.09.2007 | Economia
O prazo para a apresentação de candidaturas das comissões vitivinícolas regionais a entidades certificadoras acaba este mês, estando duas "resolvidas", do total das sete previstas, afirmou o ministro da Agricultura. Em declarações à agência Lusa, Jaime Silva explicou que o prazo foi prolongado, mas já existem duas comissões definidas, a de Setúbal e a dos Vinhos Verdes, e o processo do Ribatejo e Oeste "está a correr bem".Há cerca de um ano Jaime Silva avançou a proposta de reforma para o sector e pediu às entidades que se agregassem e se candidatassem a certificadoras, recordando que trabalhar em conjunto permite aumentar o peso, dimensão e prestígio em termos de mercado.Entretanto, as negociações, em que participa o secretário de Estado adjunto da Agricultura e Pescas, Luís Vieira, continuam com o objectivo de conseguir constituir as restantes entidades certificadores, de modo a cobrir todo o país, e ficar com as CVR de Trás-os-Montes, Vinhos Verdes, Douro, Beiras, Ribatejo e Estremadura, Setúbal e Alentejo.O processo está bem encaminhado nas regiões da Estremadura e Ribatejo, onde "houve vontade das regiões em unificar as duas áreas", dando origem à futura CVR de Lisboa, que deverá ficar localizada nas actuais instalações da CVR da Estremadura em Torres Vedras.O objectivo do ministro da Agricultura, Desenvolvimento Rural e Pescas é concluir a organização das estruturas do sector do vinho o mais rápido possível, para "focar a atenção na reconversão e arranque selectivo da vinha", duas medidas integradas na reforma da Organização Comum do Mercado (OCM), a nível comunitário, que ainda não foi aprovada."Queremos preparar o sector nacional até 2014", quando se prevê a total liberalização do mercado do vinho europeu, para que seja competitivo a nível internacional, defendeu o ministro da Agricultura. Depois, Portugal deverá direccionar todos os esforços na promoção dos vinhos nacionais, segundo os planos do governante.

Mais Notícias

    A carregar...