uma parceria com o Jornal Expresso

Edição Diária >

Edição Semanal >

Assine O Mirante e receba o jornal em casa
31 anos do jornal o Mirante

Projecto liderado por Nersant cria cluster do móvel e Casario Ribatejano

Cooperação envolveu as regiões de Santarém, Toscana Sul e Haute Provence
Edição de 26.09.2007 | Economia
A criação de um cluster do móvel em Ourém e a associação de casas de turismo rural do Ribatejo são apenas dois dos resultados visíveis da cooperação entre as regiões de Santarém, Toscana Sul (Itália) e Haute Provence (França). Unidas por uma candidatura à iniciativa comunitária INTERREG IIIC Sul, as três regiões europeias desenvolveram, nos últimos três anos, o projecto "Reforçar o Desenvolvimento Económico EDDT", que teve como "chefe de fila" (designação adoptada para a entidade coordenadora) a Associação Empresarial da Região de Santarém (Nersant).Desta operação quadro, com um financiamento global da ordem dos 5 milhões de euros, executados praticamente a 100 por cento, resultaram 17 sub-projectos em três eixos de intervenção prioritária: fomento da cooperação empresarial e do marketing territorial, apoio à criação de micro-empresas e ligação escolas/empresas.Pedro Félix, vice-presidente da comissão executiva da Nersant, fez, em Torres Novas, um balanço do projecto num seminário que assinalou o seu encerramento, e disse à agência Lusa que 15 dos 17 sub-projectos tiveram participação portuguesa. Em concreto, a iniciativa permitiu criar a marca Terra do Móvel, com uma forte aposta no design graças ao apoio do parceiro italiano, em particular do Departamento de Arquitectura e Design da Universidade de Florença.Doze empresas de Vilar de Prazeres (Ourém) juntaram-se sob a marca Terra do Móvel e partilham um "show room" criado em Fátima, estando já em criação um Agrupamento Complementar com cinco dessas empresas, "um primeiro passo" para a fase seguinte, que, disse, visa a internacionalização.Foram ainda desenvolvidos cinco protótipos de móveis, um dos quais passou à fase de produção, por um arquitecto italiano e alunos da Escola Profissional de Ourém. Neste sector, foram ainda desenvolvidos protótipos inovadores com recurso a produtos ecológicos, afirmou, apontando como exemplos a utilização nesta indústria de vernizes ou colas "amigas do ambiente".O "Casario Ribatejano", uma associação de 24 casas de turismo rural situadas no distrito de Santarém, foi outro dos sub-projectos do EDDT, com promoção nas três regiões, mas sobretudo na Haute Provence, através de um guia turístico em francês e português, e da criação de um site na Internet. Pedro Félix destacou ainda o aproveitamento de uma experiência francesa para o apoio à criação de micro-empresas, um sub-projecto que recebeu 123 candidaturas, das quais foram seleccionadas 18, as que mais se adequavam ao projecto, 10 das quais estão constituídas.O EDDT permitiu ainda a realização de auditorias tecnológicas em empresas metalomecânicas, uma área em que a Nersant "não tinha experiência" e que se revelou "fundamental para o plano estratégico que a associação elaborou para os próximos anos", afirmou.Um outro sub-projecto, o Dester, destinado a encontrar formas de aproveitar os muitos desperdícios do travertino, pedra muito utilizada pela indústria da Toscana, envolveu cinco alunos do Instituto Politécnico de Tomar, que, com 10 jovens italianos e cinco franceses, desenvolveram, em Siena, propostas de produtos inovadores. O projecto permitiu ainda a criação de uma sociedade de capital de risco de proximidade.O presidente da Nersant, José Eduardo Carvalho, sublinhou o facto desta associação empresarial ter sido a única entidade pública não oficial a ser designada no país como "chefe de fila" em dois projectos do Interreg III, um na medida C (cooperação inter-regional) e outro na medida B (cooperação transnacional). Condenando o "individualismo endémico do tecido empresarial português", José Eduardo Carvalho afirmou que "seria dramático se esta experiência não tivesse continuidade", adiantando que a Nersant vai apresentar nova candidatura ao Interreg IVC, alargando a mais duas regiões europeias, de um país do Leste (Roménia) e de outro do Norte da Europa.O EDDT, que decorreu ao longo de 40 meses, envolveu 27 instituições e 432 pessoas das três regiões europeias, adiantou.

Mais Notícias

    A carregar...