uma parceria com o Jornal Expresso

Edição Diária >

Edição Semanal >

Assine O Mirante e receba o jornal em casa
31 anos do jornal o Mirante

PSD quer fortalecer a oposição em Vila Franca

Edição de 31.01.2008 | Política
Criar mais proximidade com os líderes locais é o objectivo da nova liderança do PSD e o motivo que levou o secretário-geral do partido, Ribau Esteves, a visitar a sede da concelhia de Vila Franca de Xira, na noite de quarta-feira. “Esta é a opção política da nova liderança do partido, a criação de maior proximidade com os dirigentes locais”, referiu Ribau Esteves, à chegada à sede concelhia dos sociais-democratas. Para o secretário-geral do partido, também presidente da Câmara Municipal de Ílhavo, “é essencial a proximidade com os líderes locais pois são eles os grandes construtores de uma solução alternativa”.O social-democrata afirmou que o partido está a “trabalhar para ser poder”, um trabalho que tem vindo a desenvolver-se através de debates com os líderes concelhios, “de manhã, de tarde e de noite, sete dias por semana”, uma vez que se aproximam tanto as eleições autárquicas como as eleições legislativas. Vila Franca de Xira, um concelho onde o PSD faz parte da oposição, é um dos locais onde o PSD mais quer reflectir a mudança. “Para ser oposição é preciso cumprir três objectivos. Fortalecer o partido, através de debates internos; cumprir a missão que os eleitores nos deram, que foi a de sermos oposição e, por último, construir uma alternativa de governo”, enunciou Ribau Esteves.Rui Rei, vereador do PSD na Câmara Municipal de Vila Franca de Xira, diz conversar regularmente com Ribau Esteves, que está a par daquelas que são as preocupações do PSD em relação ao concelho de Vila Franca de Xira. “O partido sabe das nossas necessidades e sabe que precisamos de apoio para vitória em 2009”, afirmou. Rui Rei mostra-se optimista em relação à disputa pelo poder na câmara vilafranquense e acredita que o PSD é “a única força política que tem condições para tirar o PS do governo”. Os sociais-democratas vão agora decidir quais serão as suas “bandeiras políticas” para a campanha eleitoral.

Mais Notícias

    A carregar...