uma parceria com o Jornal Expresso

Edição Diária >

Edição Semanal >

Assine O Mirante e receba o jornal em casa
31 anos do jornal o Mirante
Guerra entre dirigentes leva atleta olímpico de Coimbra a federar-se na Associação de Judo de Santarém

Guerra entre dirigentes leva atleta olímpico de Coimbra a federar-se na Associação de Judo de Santarém

João Neto representa a Associação Cristã da Mocidade Coimbra/Torres Novas

A conquista de um lugar na equipa olímpica foi saudada na Assembleia Municipal de Torres Novas, pelo presidente da Associação de Judo de Santarém, apesar do atleta não ter qualquer ligação à região.

Edição de 27.03.2008 | Desporto
João Neto nasceu em Coimbra e foi naquela cidade que despertou para o Judo. Com trabalho e dedicação conquistou um lugar nos Jogos Olímpicos de Pequim. Por causa de uma guerra entre dirigentes surge inscrito num clube de Torres Novas e está federado na Associação de Judo de Santarém. Por causa disso até já houve quem quisesse tirar dividendos da situação.Decorria uma sessão da Assembleia Municipal de Torres Novas quando o eleito do PSD António Pedrosa Leal, que também é presidente da Associação Distrital de Judo de Santarém, anunciou com “pompa e circunstância” que um atleta de um clube da cidade iria estar presente nos Jogos. Foi a 24 de Fevereiro. O atleta em causa, João Neto, nascido a 28 de Dezembro de 1981 raras vezes deve ter ido a Torres Novas. O clube que representa tem a estranha designação de Associação Cristã Mocidade (ACM) Coimbra/Torres Novas.“O João Neto está federado pela Associação Distrital de Judo de Santarém (ADJS) e pertence a um clube com sede em Torres Novas porque a Associação Judo de Coimbra estava a criar bastantes obstáculos aos atletas da ACM Coimbra e sinto que devemos oferecer aos atletas condições para que trabalhem com calma e dignidade”, esclareceu a O MIRANTE Fausto Carvalho, treinador do jovem e responsável técnico da ADJS. Segundo apurámos as “graves incompatibilidades” entre os dirigentes da Secção de Judo da ACM Coimbra e o presidente da Direcção da Associação Distrital de Judo de Coimbra, Jorge Fernandes, já levam uma década e a situação gerou, na altura, um protesto por parte dos atletas que se sentiram “maltratados” pela associação pelo que recusaram representar o nome da terra. “Tivemos que encontrar uma solução para este problema e fizemos diligências junto de clubes de judo de Santarém. A ACM de Torres Novas disse que isto não ia contra os seus princípios, anuiu e assim criámos uma nova associação” explicou o treinador, acrescentando que situações deste tipo não são tão raras como se pensa. Assim, em Junho de 1999 foi constituída a Associação Cristã da Mocidade de Coimbra (Torres Novas), na qual se inscreveram de imediato, e se filiaram, naturalmente através da Associação Distrital de Judo de Santarém, os atletas federados. João Neto treina habitualmente em Coimbra, cidade onde reside e estuda. “Normalmente, só ao fim-de-semana treina em Torres Novas”, aponta Fausto Carvalho. A ACM Coimbra/Torres Novas tem 51 atletas inscritos na modalidade Judo e tem a sua sede social na Rua da Fábrica, n.11 em Torres Novas, embora treinem habitualmente num pavilhão, na Rua Cândido dos Reis, junto ao Centro de Estudos Politécnicos de Torres Novas (CEPTON).Contactado pelo O MIRANTE, António Pedrosa Leal, presidente da Associação Distrital de Judo de Santarém, não se quis pronunciar sobre as guerras vindas dos lados de Coimbra. “O que eu sei é que até à data nunca nenhum clube saiu chateado da Associação de Santarém para se inscrever noutra associação”, disse. Pedrosa Leal volta a insistir que “o que é relevante neste caso é o facto de ser o nome de Torres Novas que vai ser levado até Pequim”.
Guerra entre dirigentes leva atleta olímpico de Coimbra a federar-se na Associação de Judo de Santarém

Mais Notícias

    A carregar...