uma parceria com o Jornal Expresso

Edição Diária >

Edição Semanal >

Assine O Mirante e receba o jornal em casa
31 anos do jornal o Mirante
Primeiro livro de José Niza apresentado em Santarém

Primeiro livro de José Niza apresentado em Santarém

Festa dia 21 de Abril, a partir das 18h30 com Tonicha e Paco Bandeira

O primeiro livro de José Niza é editado por O MIRANTE e distribuído gratuitamente com a edição da semana em que se comemora mais um aniversário do 25 de Abril.

Edição de 17.04.2008 | Cultura e Lazer
No prefácio que escreveu para o livro Poemas de Guerra, de José Niza, o seu amigo, Francisco Pinto Balsemão desafia-o a escrever mais. “Devia consagrar muito mais do seu tempo à poesia, recuperando e dando versão definitiva ao que decerto já escreveu e guarda só para si. E, sobretudo, criando, escrevendo novos poemas. Podemos e devemos exigir a José Niza que não fique por aqui, que escreva e publique mais poesia.”Para Francisco Pinto Balsemão o livro revela “um grande poeta português, na linha e na tradição de Pessoa e de O’Neil – do sarcasmo, da crítica, da tomada de posições políticas corajosas, mas também da ternura pelas crianças, da absorção contemplativa e participativa da natureza, de alguma sensualidade comedida.”Apesar de José Niza ter centenas de poemas que são conhecidos do grande público através de canções, para além de inúmeros textos sobre cantores e artistas, Poemas da Guerra (Angola 1969 – 1971) é o seu primeiro livro.Numa linguagem simples e directa o autor coloca os leitores num tempo e num lugar distantes. Através de uma inspirada ironia mostra como lhe foi possível resistir a uma guerra injusta e sem sentido, como foi a guerra colonial. “A forma como encarei a guerra e com ela me confrontei, teve algo de ingenuidade e de loucura lúcida”, diz José Niza. E acrescenta. “A minha confrontação com a guerra foi – no fundo – não a levar a sério. Melhor dito: não a levar a sério... mas não convinha que ela soubesse disso.” O lançamento do livro está marcado para dia 21 de Abril, às 18h30, no largo do Seminário em Santarém. Em caso de mau tempo a cerimónia decorrerá no salão nobre da câmara municipal.Autor fala sobre a guerra colonial em entrevista José Niza fala longamente sobre o que viveu em Angola entre 1969 e 1971, numa entrevista que concedeu a O MIRANTE e que será publicada na próxima edição.O médico, escritor e político conta alguns episódios passados no aquartelamento onde cumpriu uma comissão de serviço, que estava situado a dezenas de quilómetros de qualquer povoação. O Carnaval em Zau ÉvuaAqui o Carnaval é todo o anoDesde o içar da bandeiraAo cair do panoTrezentos soldadosMascaradosSuam bem suadosbagas de suor de um confettiamarelo verde e encarnadoque não é daquium clarim tocavárias vezes ao dia(o Pavlov descobriuque os reflexos condicionadostambém serviam para os soldados)eu vou estandoe não esqueçoadeusaté ao meu regresso.
Primeiro livro de José Niza apresentado em Santarém

Mais Notícias

    A carregar...