uma parceria com o Jornal Expresso

Edição Diária >

Edição Semanal >

Assine O Mirante e receba o jornal em casa
31 anos do jornal o Mirante

Paulo Fonseca avança com candidatura à distrital de Santarém do PS

Candidato mostra-se disponível para deixar de ser governador civil

O governador civil de Santarém pretende que a sua candidatura seja consensual e que reúna as várias tendências do partido socialista.

Edição de 18.09.2008 | Política
O governador civil de Santarém, Paulo Fonseca, assume que é candidato à federação distrital do Partido Socialista. A decisão surgiu após um jantar com vários militantes da região. O candidato está disponível para deixar o cargo de governador civil se o partido entender que existe um conflito de cargos. Quando foi nomeado governador do distrito de Santarém, Paulo Fonseca era presidente da distrital e abandonou as funções partidárias para passar a ser o representante do Governo na região. Paulo Fonseca garante que se ganhar as eleições em Novembro vai colocar a questão da acumulação dos cargos ao primeiro-ministro, José Sócrates, e à direcção nacional do partido. “Farei o que entenderem. Se considerarem que há uma incompatibilidade de cargos estou disponível para abandonar o cargo de governador civil”, disse a O MIRANTE Paulo Fonseca, acrescentando que foi esta a atitude que teve quando foi nomeado para o Governo Civil de Santarém. O candidato diz que foi fundamental o apoio de vários militantes para a sua tomada de posição, realçando que o objectivo é que esta candidatura seja consensual e integrante de todas as tendências do partido no distrito. É dado como garantido que o actual presidente dos socialistas na região não vai recandidatar-se ao cargo. O governador civil garante que António Rodrigues, que também é presidente da Câmara de Torres Novas, já lhe comunicou essa intenção. Para Paulo Fonseca este é o “momento para somar forças” porque se aproximam momentos importantes para o partido como as eleições autárquicas e as legislativas, no próximo ano. “Os responsáveis políticos têm que estar unidos pela afirmação regional tendo em conta o Quadro de Referência Estratégico Nacional (QREN), porque se perdermos esta oportunidade para resolvermos os problemas da região depois vai ser mais difícil”, realça.O governador civil ainda não apresentou publicamente a sua candidatura, mas em declarações a O MIRANTE diz que, se for eleito presidente dos socialistas, vai lutar pelo desenvolvimento da região. A direcção nacional do partido determinou que as eleições nas distritais têm que decorrer a 8 ou 9 de Novembro, mas o dia específico para o acto eleitoral em Santarém ainda não foi escolhido.

Mais Notícias

    A carregar...