uma parceria com o Jornal Expresso

Edição Diária >

Edição Semanal >

Assine O Mirante e receba o jornal em casa
31 anos do jornal o Mirante
João Nunes

João Nunes

57 anos, empresário

Nasceu na Chamusca a 13 de Março de 1951. Começou por vender peças e ferramentas de automóveis e actualmente é o gerente da empresa Pluricar – Comércio de Automóveis, em Tomar. Competência e rigor são as palavras que mais emprega para trilhar o seu percurso profissional.

Edição de 25.09.2008 | Três Dimensões
Em pequeno gostava de aviões mas, entretanto, começou a surgir “o bichinho” pelos automóveis. Mais tarde começou a despontar dentro de mim também uma vertente comercial. Comecei a comprar carros, ajeitava-os e vendia-os. Antes, estive sete anos como mecânico de aviões na Força Aérea mas decidi sair depois do 25 de Abril. Em 1980 fui trabalhar para uma empresa de Leiria, como vendedor de peças e ferramentas. Um ano depois fui convidado para chefiar a secção de vendas automóveis da Renault em Tomar.Comecei, com outros dois sócios, num stand onde cabiam dois carros e uma secretária. Tenho a Pluricar desde 1983. Mais tarde tive necessidade de ampliar as instalações e abrir uma oficina. Um dos sócios saiu ao fim de um ano e o outro vendeu-me a quota ao fim de nove anos e fiquei sozinho com a empresa. Actualmente somos nove pessoas na empresa. Este é um stand multimarcas, ou seja, não estou ligado a concessionários. Facturamos 1 milhão e duzentos mil euros por ano.Gosto muito do rigor e da competência. Fui educado assim. Devemos apostar sempre na qualidade do produto e na assistência ao cliente depois da venda. Acho sempre que as coisas nunca estão bem e, acima de tudo, que devemos aplicar competência e rigor naquilo que fazemos. Digo sempre aos meus colaboradores que devem escutar os clientes com muita atenção e tentar resolver os seus problemas. Quando fazemos as coisas temos que as fazer o melhor que pudemos.Moro em Leiria e levanto-me às seis da manhã todos os dias. Normalmente, às sete e um quarto já estou no escritório a preparar o dia. Faço de tudo um pouco nesta empresa. Tenho muito gosto em receber os clientes. Há sempre muito a fazer. Temos a parte da oficina, que dá assistência à pós-venda que é muito trabalhosa. Saio daqui tarde mas quando saio desligo completamente. Os telemóveis inclusive. É com muita satisfação que tenho o meu filho, Eduardo, a trabalhar comigo. Tem 27 anos e está a terminar o curso de Gestão de Empresas. Acho que ele tem qualidades para garantir o negócio e um dia tomar conta da empresa. É gratificante sentir que há alguém da família que vai continuar o que iniciei. Mudámos para as actuais instalações em 2007 e, neste momento, estou a sentir que há mais muito mais visitas ao parque automóvel e que o volume de negócios está a aumentar. Um dos primeiros carros que vendi, na Pluricar, foi um Fiat 600 a um fulano que tinha dois metros de altura. Não sei como coube lá dentro (risos). Penso que este cliente já me comprou, durante este tempo todo, 17 carros. Outro episódio que não esqueço foi, há quinze anos, quando um cliente me comprou um carro de cerca de dois mil contos e pagou-me tudo em dinheiro, que trouxe num saco de plástico. Obrigou-me a estar uma manhã a contar notas pequenas e moedas (risos).A aviação é uma das minhas grandes paixões. Gosto muito de voar. Tenho o brevet de piloto de ultra-leve. Também gosto de ler e as últimas férias passei-as, tranquilo, numa casa à beira do rio na Albufeira do Castelo de Bode a pescar que é uma actividade que faço com muito prazer.
João Nunes

Mais Notícias

    A carregar...