uma parceria com o Jornal Expresso

Edição Diária >

Edição Semanal >

Assine O Mirante e receba o jornal em casa
31 anos do jornal o Mirante
Criar aves exige investimento e paixão

Criar aves exige investimento e paixão

Rui Belchior é um ornitólogo e canaricultor que tem 180 casais de canários em casa

Criar canários é uma paixão que requer disponibilidade. Os avicultores criam aves em cativeiro, mas os produtores também podem ser ornitólogos. Quando colocam dedicação naquilo que fazem.

Edição de 04.12.2008 | Sociedade
Ver Vídeo em: http://www.omirante.pt/omirantetv/index.asp?idgrupo=2&IdEdicao=54&idSeccao=514&id=26607&Action=noticia“Quem tem animais não pode ter sábados, domingos ou feriados. Criar canários é um gosto pessoal”. Quem o diz é Rui Belchior, um ornitólogo de 43 anos da Castanheira do Ribatejo. Tem a paixão da ornitologia - parte da zoologia que estuda as aves - e dedica-se também à criação de canários. É por isso canaricultor.O seu canário preferido é o Féos. Em casa tem cerca de 180 casais reprodutores. Não os comercializa. Só troca. “Não é fácil em parte nenhuma ter-se tantos casais de canários. É preciso um grande investimento de tempo”, explica o comerciante de profissão. Já recebeu diversos prémios de criação e de estudo. Cerca de duas dezenas a nível mundial. “Um ornitólogo é aquela pessoa que se dedica ao estudo das aves, que inclui a descrição, história, e classificação. Um avicultor é o indivíduo que se dedica ao ramo de actividade da criação de aves. Tem um fim mais comercial”, explica Carlos Delgado, responsável pela organização da Avixira que no último fim de semana encheu o Pavilhão do Cevadeiro, em Vila Franca de Xira, de aves canoras e ornamentais. “A criação de aves em cativeiro chama-se avicultura, mas um avicultor pode ser um ornitólogo, se puser interesse e paixão naquilo que faz”, acrescenta Luís Francisco Fernandes, funcionário da Câmara Municipal da Amadora a tempo inteiro e presidente da Associação de Avicultores de Portugal, desde 2005. Diz que não vende as aves que cria, prefere “escoá-las”. “Não gosto do termo vender, aliás não se pode quantificar os valores sentimentais que temos com as aves. Costumo trocar aves”, prossegue.Para o presidente do Clube Ornitológico de Vialonga, Luís Monteiro, a Avixira é o culminar de um trajecto e de um objectivo que há muito aguardam: trazer uma exposição desta dimensão e valor ao concelho vila-franquense. “ Esperamos que esta primeira edição venha a suscitar o interesse de integrar a Avixira no calendário anual de certames do concelho e que possa vir a ter um crescente impacto na região”, conclui.O canário Arlequim portuguêsO canário Arlequim português é a única raça de canário nacional, também conhecido como Armando Moreno, o seu “inventor”. É um canário mais longo, esguio e de cabeça mais estreita, com uma poupa em tricórnio e a cor variegada em vermelho mosaico. O presidente da Associação de Avicultores de Portugal, Luís Francisco Fernandes, conta a história. “As várias raças de canários são oriundas das Ilhas Canárias espanholas, das britânicas, da Madeira e dos Açores, mas foram sempre fugindo para outros povos. Na década de 80 do século passado a raça surgiu por iniciativa do professor Armando Moreno e de um grupo restrito de criadores. No fundo o canário português é o resultado do melhoramento por selecção de antigos canários variegados”, explica.
Criar aves exige investimento e paixão

Mais Notícias

    A carregar...