uma parceria com o Jornal Expresso

Edição Diária >

Edição Semanal >

Assine O Mirante e receba o jornal em casa
31 anos do jornal o Mirante

Maioria dos funcionários da CCDR de Lisboa e Vale do Tejo vai trabalhar nos serviços regionais

Edição de 02.01.2009 | Política
A maior parte dos funcionários da Comissão de Coordenação Regional de Lisboa e Vale do Tejo (CCDRLVT), actualmente a trabalhar em Lisboa, vai nos próximos três anos passar a desempenhar funções em serviços regionais, informou o presidente da CCDR. A desconcentração dos serviços, como a elaboração de planos de ordenamento do território, planos directores municipais ou a gestão de fundos comunitários, deverá passar a ser efectuada a nível regional deixando de estar concentrada em Lisboa, afirmou o presidente da CCDRLVT, Fonseca Ferreira. “Temos gente a mais em Lisboa e gente a menos nas Caldas da Rainha, em Santarém, Torres Novas e Setúbal”, disse o responsável. “Dos 231 funcionários da CCDR, só 63 estão nos serviços regionais e o objectivo é que entre três a cinco anos estejam mais nos regionais do que nos serviços em Lisboa”, sustentou Fonseca Ferreira. “Até há três anos, quando iniciámos a reforma da CCDR, estava tudo em Lisboa, só havia os Gabinetes de Apoio Técnico, que trabalhavam para as câmaras municipais e um laboratório em Caldas da Rainha dos serviços de ambiente e neste momento este é um objectivo central da CCDR”, disse.Fonseca Ferreira falava aos jornalistas em Caldas da Rainha onde decorre uma reunião de chefias da instituição destinada a fazer um balanço do ano de 2008. O responsável disse ainda que a maior parte das funções da CCDR “devem ser desempenhadas junto ao terreno” acrescentando que já se deram progressos como o acompanhamento de planos de urbanização ou de contratos-programas. Fonseca Ferreira disse ainda que a completa desconcentração dos serviços já não será feita consigo na presidência mas escusou-se a adiantar quando sairá de funções. Disse ainda que as funções operacionais de terreno devem ser feitas localmente e que aos serviços centrais cabe elaborar as normas e as orientações.

Mais Notícias

    A carregar...