uma parceria com o Jornal Expresso

Edição Diária >

Edição Semanal >

Assine O Mirante e receba o jornal em casa
31 anos do jornal o Mirante
Central de Cervejas apoia famílias carenciadas e bombeiros de Vialonga

Central de Cervejas apoia famílias carenciadas e bombeiros de Vialonga

Cento e trinta mil euros são ajuda importante face ao crescente número de casos

À semelhança do que já vem sendo hábito a Sociedade Central de Cervejas decidiu apoiar em 130 mil euros as famílias mais carenciadas de Vila Franca de Xira. Uma importante ajuda face ao aumento do número de famílias carenciadas no concelho.

Edição de 03.03.2010 | Sociedade
Os 130 mil euros atribuídos pela Sociedade Central de Cervejas (SCC) à Câmara Municipal de Vila Franca de Xira são uma importante ajuda para fazer face ao crescente número de famílias carenciadas do concelho. Parte dessa verba (50 mil euros) destinou-se à aquisição de uma ambulância para os Bombeiros Voluntários de Vialonga, assumindo depois a autarquia esse valor.O protocolo entre as duas entidades foi assinado na sexta-feira, 26 de Fevereiro, nas instalações da cervejeira sediada na freguesia de Vialonga e insere-se na política de responsabilidade social da empresa que tem nos últimos anos permitido ajudar centenas de agregados familiares com dificuldades no concelho.“O aumento de famílias carenciadas em Vila Franca de Xira tem de me preocupar. Só se andasse distraída é que não me preocuparia com isso. Temo-nos esforçado e com a ajuda do banco alimentar e de um conjunto de entidades vamos continuar a minimizar as dificuldades e esperar que se ultrapassem rapidamente”, disse a presidente da câmara municipal de Vila Franca de Xira.Maria da Luz Rosinha agradeceu o apoio da SCC e lamenta que outras empresas não tenham a mesma postura e que, mesmo podendo ajudar, não o fazem. O apoio agora formalizado servirá para ajudar directa e indirectamente cerca de 400 famílias carenciadas com concelho e dotar os bombeiros de Vialonga com uma nova e moderna ambulância. A autarquia recebe mensalmente a informação das diversas entidades que colaboram neste projecto e que fazem a ponte com as famílias.A autarca revela que mesmo com este importante incentivo é possível que não se abranjam todas as famílias carenciadas do concelho. “Há famílias que já sofrem de carências sociais há muitos anos. Agora estamos a falar daquelas famílias que em virtude do desemprego, se viram confrontadas com uma situação com a qual não sabem lidar. Isso é que é o mais preocupante”, ressalva Maria da Luz Rosinha.Prestar auxílio alimentar é fundamental mas mais importante é procurar encontrar soluções ao nível do emprego para quem se encontra nesta situação. “As pessoas devem retomar a sua auto-estima e confiança trabalhando. Isso é fundamental. Depois, no âmbito da rede social, há todo um conjunto de medidas que permite ajudar as famílias”, garante a presidente.Nesse âmbito Maria da Luz Rosinha refere que a autarquia “celebrou um acordo que vai permitir dar trabalho a cerca de 400 pessoas e que as juntas de freguesia estão a fazer o mesmo”. “Há aqui uma rede de esforço social, onde as empresas se inserem, que tem por objectivo diminuir as dificuldades das pessoas”, concluiu a edil.Para o presidente da Sociedade Central de Cervejas uma empresa não vive só de quotas de mercado, de lucros e emprego. “Vive também da maneira como se consegue inserir no tecido social, nomeadamente naqueles que estão à sua volta”, revela Alberto da Ponte, honrado por mais uma vez poder ajudar quem mais precisa.Os 130 mil euros atribuídos pela Sociedade Central de Cervejas (SCC) à Câmara Municipal de Vila Franca de Xira são uma importante ajuda para fazer face ao crescente número de famílias carenciadas do concelho. Parte dessa verba (50 mil euros) destinou-se à aquisição de uma ambulância para os Bombeiros Voluntários de Vialonga, assumindo depois a autarquia esse valor.O protocolo entre as duas entidades foi assinado na sexta-feira, 26 de Fevereiro, nas instalações da cervejeira sediada na freguesia de Vialonga e insere-se na política de responsabilidade social da empresa que tem nos últimos anos permitido ajudar centenas de agregados familiares com dificuldades no concelho.“O aumento de famílias carenciadas em Vila Franca de Xira tem de me preocupar. Só se andasse distraída é que não me preocuparia com isso. Temo-nos esforçado e com a ajuda do banco alimentar e de um conjunto de entidades vamos continuar a minimizar as dificuldades e esperar que se ultrapassem rapidamente”, disse a presidente da câmara municipal de Vila Franca de Xira.Maria da Luz Rosinha agradeceu o apoio da SCC e lamenta que outras empresas não tenham a mesma postura e que, mesmo podendo ajudar, não o fazem. O apoio agora formalizado servirá para ajudar directa e indirectamente cerca de 400 famílias carenciadas com concelho e dotar os bombeiros de Vialonga com uma nova e moderna ambulância. A autarquia recebe mensalmente a informação das diversas entidades que colaboram neste projecto e que fazem a ponte com as famílias.A autarca revela que mesmo com este importante incentivo é possível que não se abranjam todas as famílias carenciadas do concelho. “Há famílias que já sofrem de carências sociais há muitos anos. Agora estamos a falar daquelas famílias que em virtude do desemprego, se viram confrontadas com uma situação com a qual não sabem lidar. Isso é que é o mais preocupante”, ressalva Maria da Luz Rosinha.Prestar auxílio alimentar é fundamental mas mais importante é procurar encontrar soluções ao nível do emprego para quem se encontra nesta situação. “As pessoas devem retomar a sua auto-estima e confiança trabalhando. Isso é fundamental. Depois, no âmbito da rede social, há todo um conjunto de medidas que permite ajudar as famílias”, garante a presidente.Nesse âmbito Maria da Luz Rosinha refere que a autarquia “celebrou um acordo que vai permitir dar trabalho a cerca de 400 pessoas e que as juntas de freguesia estão a fazer o mesmo”. “Há aqui uma rede de esforço social, onde as empresas se inserem, que tem por objectivo diminuir as dificuldades das pessoas”, concluiu a edil.Para o presidente da Sociedade Central de Cervejas uma empresa não vive só de quotas de mercado, de lucros e emprego. “Vive também da maneira como se consegue inserir no tecido social, nomeadamente naqueles que estão à sua volta”, revela Alberto da Ponte, honrado por mais uma vez poder ajudar quem mais precisa.
Central de Cervejas apoia famílias carenciadas e bombeiros de Vialonga

Mais Notícias

    A carregar...