uma parceria com o Jornal Expresso

Edição Diária >

Edição Semanal >

Assine O Mirante e receba o jornal em casa
31 anos do jornal o Mirante
Três mil assinaturas a favor do Parque Urbano da Quinta da Flamenga

Três mil assinaturas a favor do Parque Urbano da Quinta da Flamenga

Documento foi entregue na última reunião de câmara

Abaixo-assinado entrega na reunião de câmara vinca desagrado dos cidadãos perante a falta de cumprimento na promessa de construção do Parque Urbano da Flamenga. Moradores esperam e desesperam há 12 anos pelas obras previstas para o local.

Edição de 17.03.2010 | Sociedade
O Movimento Jardim Parque Urbano da Quinta da Flamenga de Vialonga, concelho de Vila Franca de Xira, reuniu cerca de três mil assinaturas num abaixo-assinado e entregou o documento na última reunião de Câmara, realizada no dia 10 de Março. A iniciativa visa vincar o desagrado da população de Vialonga perante os sucessivos incumprimentos e adiamentos por parte da autarquia, relativamente à conclusão da construção do Parque Urbano da Quinta da Flamenga e respectivas piscinas. Há doze anos que os moradores esperam e desesperam pela construção das obras previstas para aquela zona. Depois de várias alterações, o actual projecto contempla a criação de uma grande zona relvada e arborizada. Uma alameda junto à zona residencial, espaços de lazer e de carácter desportivo e a construção de uma piscina.Em Abril de 2007 a autarquia de Vila Franca de Xira deixou a promessa de que em Outubro de 2009 o parque urbano estaria concluído. A 12 de Setembro último a câmara inaugurou a primeira fase do parque, que custou cerca de 800 mil euros que corresponde a apenas um terço do total das obras. (Jardim dos Socalcos.) Na ocasião, Maria da Luz Rosinha, justificou que o atraso na conclusão do parque urbano se devia aos custos muito mais elevados dos que os estimados em projecto (cerca do dobro).Já antes, em Agosto, e depois de confrontado com as críticas dos moradores sobre os sucessivos atrasos na obra, o vice-presidente da autarquia garantiu que todo o processo administrativo e projecto de adjudicação estavam concluídos mas que faltava dinheiro para avançar com a obra. “Só conseguiremos avançar no primeiro trimestre do próximo ano. É preciso cerca de um milhão de euros que a autarquia neste momento não tem” confessou Alberto Mesquita na ocasião, garantindo a O MIRANTE que estavam criadas as condições para que no início deste ano as obras pudessem recomeçar.De acordo com o presidente da junta de Vialonga, José Gomes (CDU), a última informação que recebeu por parte da câmara de Vila Franca de Xira é que está previsto investir-se 300 mil euros durante o presente ano. Para esta quarta-feira, 17 de Março, estava agendada uma reunião entre câmara e junta, já depois do fecho da edição.Num ofício entregue com o abaixo-assinado o Movimento Jardim Parque Urbano da Quinta da Flamenga alerta para o facto de no Plano Plurianual de Investimentos não existir qualquer verba já definida para este investimento nos próximos quatro anos. “Esta opção da câmara municipal leva-nos a crer que o compromisso assumido com os moradores foi adiado sem prazo”, refere a nota que acrescenta. “Nesta altura deveríamos já estar a planear a construção das piscinas de Vialonga previstas nesta infra-estrutura e ainda nem o Jardim dos Socalcos está completo”, acusa o movimento.Neste momento o terreno onde já deveria estar construído o Parque Urbano da Quinta da Flamenga em Vialonga, serve para depósito de lixo e apresenta perigos para as muitas crianças que ali brincam. Existe um poço cheio de água, protegido apenas com um arame, vários buracos e duas tampas de saneamento básico, que não estão devidamente sinalizados.O Movimento Jardim Parque Urbano da Quinta da Flamenga de Vialonga, concelho de Vila Franca de Xira, reuniu cerca de três mil assinaturas num abaixo-assinado e entregou o documento na última reunião de Câmara, realizada no dia 10 de Março. A iniciativa visa vincar o desagrado da população de Vialonga perante os sucessivos incumprimentos e adiamentos por parte da autarquia, relativamente à conclusão da construção do Parque Urbano da Quinta da Flamenga e respectivas piscinas. Há doze anos que os moradores esperam e desesperam pela construção das obras previstas para aquela zona. Depois de várias alterações, o actual projecto contempla a criação de uma grande zona relvada e arborizada. Uma alameda junto à zona residencial, espaços de lazer e de carácter desportivo e a construção de uma piscina.Em Abril de 2007 a autarquia de Vila Franca de Xira deixou a promessa de que em Outubro de 2009 o parque urbano estaria concluído. A 12 de Setembro último a câmara inaugurou a primeira fase do parque, que custou cerca de 800 mil euros que corresponde a apenas um terço do total das obras. (Jardim dos Socalcos.) Na ocasião, Maria da Luz Rosinha, justificou que o atraso na conclusão do parque urbano se devia aos custos muito mais elevados dos que os estimados em projecto (cerca do dobro).Já antes, em Agosto, e depois de confrontado com as críticas dos moradores sobre os sucessivos atrasos na obra, o vice-presidente da autarquia garantiu que todo o processo administrativo e projecto de adjudicação estavam concluídos mas que faltava dinheiro para avançar com a obra. “Só conseguiremos avançar no primeiro trimestre do próximo ano. É preciso cerca de um milhão de euros que a autarquia neste momento não tem” confessou Alberto Mesquita na ocasião, garantindo a O MIRANTE que estavam criadas as condições para que no início deste ano as obras pudessem recomeçar.De acordo com o presidente da junta de Vialonga, José Gomes (CDU), a última informação que recebeu por parte da câmara de Vila Franca de Xira é que está previsto investir-se 300 mil euros durante o presente ano. Para esta quarta-feira, 17 de Março, estava agendada uma reunião entre câmara e junta, já depois do fecho da edição.Num ofício entregue com o abaixo-assinado o Movimento Jardim Parque Urbano da Quinta da Flamenga alerta para o facto de no Plano Plurianual de Investimentos não existir qualquer verba já definida para este investimento nos próximos quatro anos. “Esta opção da câmara municipal leva-nos a crer que o compromisso assumido com os moradores foi adiado sem prazo”, refere a nota que acrescenta. “Nesta altura deveríamos já estar a planear a construção das piscinas de Vialonga previstas nesta infra-estrutura e ainda nem o Jardim dos Socalcos está completo”, acusa o movimento.Neste momento o terreno onde já deveria estar construído o Parque Urbano da Quinta da Flamenga em Vialonga, serve para depósito de lixo e apresenta perigos para as muitas crianças que ali brincam. Existe um poço cheio de água, protegido apenas com um arame, vários buracos e duas tampas de saneamento básico, que não estão devidamente sinalizados.
Três mil assinaturas a favor do Parque Urbano da Quinta da Flamenga

Mais Notícias

    A carregar...