uma parceria com o Jornal Expresso

Edição Diária >

Edição Semanal >

Assine O Mirante e receba o jornal em casa
31 anos do jornal o Mirante

PS lamenta atraso nas actas das reuniões de Câmara de Salvaterra

Edição de 25.08.2010 | Sociedade
Os vereadores do Partido Socialista na Câmara de Salvaterra de Magos lamentaram, na reunião do executivo de 18 de Agosto, o facto de terem tido que aprovar de uma assentada nove actas de reuniões de câmara realizadas entre 9 de Março e 2 de Junho deste ano. A situação passou-se na reunião do executivo de 4 de Agosto. Apesar dos vereadores presentes, João Simões e Berta Charréu – esta em substituição de Hélder Esménio, ausente de férias – terem pedido para que aprovação das actas fosse adiada para sessão de câmara seguinte, tal não foi concedido pela presidente, Ana Cristina Ribeiro (BE). “Apesar de estarmos a falar de mais de 300 páginas de texto e de actas com mais de quatro meses de atraso, a senhora presidente não acedeu ao pedido dos vereadores para adiar este ponto. É impossível conseguir ler 300 páginas em 48 horas”, dizem os vereadores socialistas, acrescentando que esta recusa por parte da presidente é “uma deselegância política que merece o nosso veemente protesto”.Ana Cristina Ribeiro referiu que vão “tentar” a partir da próxima reunião do executivo que as actas “venham atempadamente cumprindo a própria legislação”. A autarca não deixou de alertar os vereadores da oposição: “Vieram nove actas como poderiam vir 20. Os vereadores têm o tempo que têm para preparar as reuniões do executivo. Se é necessário reduzir horas de sono para preparar as reuniões então que se reduza. Todos temos prazos a cumprir e o tempo é escasso para todos”.A presidente referiu ainda que as actas foram enviadas para os eleitos da oposição com as 48 horas de antecedência conforme a lei estipula. “O facto de actas anteriores não virem para aprovar logo na reunião seguinte não penaliza nenhum munícipe nem ninguém que esteja a aguardar uma deliberação da autarquia. As minutas das reuniões são sempre aprovadas no final e eficazes a partir daquele momento”, sublinhou.

Mais Notícias

    A carregar...