uma parceria com o Jornal Expresso

Edição Diária >

Edição Semanal >

Assine O Mirante e receba o jornal em casa
31 anos do jornal o Mirante
Cláudia Fragoso

Cláudia Fragoso

36 anos, locutora, Rio Maior

“Todos nós vamos sentir dificuldades mas será bom, porque há pessoas que estão habituadas a receber tudo de mão beijada e se calhar é preciso passar por sacrifícios durante uns anitos”

Edição de 13.04.2011 | Agora falo eu
Já foi voluntária nalguma ocasião?Nunca fui mas já pensei nisso. Uma coisa que adorava fazer era lidar com idosos, falar com eles, até mudar fraldas se fosse preciso. É uma oportunidade em aberto.Os portugueses devem temer a entrada do FMI no país?Na minha opinião não, porque se calhar quem está de fora consegue ver o que se passa cá dentro de outra forma. Todos nós vamos sentir dificuldades mas será bom, porque há pessoas que estão habituadas a receber tudo de mão beijada e se calhar é preciso passar por sacrifícios durante uns anitos.Que significado tem para si a quadra pascal?A quadra já me disse mais, quando vivemos com os pais e avós. Depois, quando vamos fazendo o nosso caminho, há certas coisas que vão ficando para trás e a Páscoa é uma delas. É um período em que a minha filha não tem aulas e a mãe continua a trabalhar!O que faz falta na cidade de Rio Maior?Penso que faltam mais espaços verdes, há muito betão. Há apenas pequenos canteiros e jardim é só o 25 de Abril, que já tem menos árvores desde que foi requalificado. Os espaços verdes tornam sempre mais bonita uma cidade e dá-me inveja ver na televisão aquelas pessoas que se deitam na relva limpa. Concorda com a videovigilância nas ruas?Concordo plenamente, seria excelente. Em minha casa, apesar de viver num sítio pacato, vejo sempre as três portas de acesso a casa antes de ir dormir.O que é que não exporia no facebook?Se calhar as fotografias da minha filha a tomar banho, na própria praia, como vejo nalguns casos. Tenho facebook, com fotos da minha filha, mas não em certos preparos. Também não aceito qualquer um como amigo. Mas se por um lado a salvaguardo, por outro ponho-me a pensar: “Será que devo tirar todas?”.Costuma frequentar o complexo desportivo de Rio Maior?Não, apenas o faço em trabalho. Já frequentei as piscinas quando fazia hidroginástica e vivia em Rio Maior. Adorei, é um excelente complexo, mesmo em termos de professores.Que filme e livro lhe ficaram na memória?Li um livro numa noite internada no hospital e nunca chorei tanto. Foi com “As palavras que nunca te direi”, de Nicholas Sparks, e espero ver o filme. Um filme que me marcou, talvez por ter sido o primeiro que vi cinema, foi o “Música no Coração”. Adoro esse filme, tanto como outros grandes clássicos. Que personagem mais admira?Sem dúvida é a minha mãe. Enviuvou muito cedo e continua a ser uma mãe que põe os filhos, casados e pais, à frente das suas próprias necessidades. Está no primeiro lugar do meu ranking.Que vício é que não consegue largar?É o tabaco. Fumo desde os 19 anos por brincadeira, deixei de fumar na gravidez. Com o stress depois de ter nascido a minha filha voltei ao tabaco. Mas fumo menos de um maço por dia.
Cláudia Fragoso

Mais Notícias

    A carregar...