uma parceria com o Jornal Expresso

Edição Diária >

Edição Semanal >

Assine O Mirante e receba o jornal em casa
31 anos do jornal o Mirante
Cesaltina Jofre nasceu em Constância e canta o fado há cinquenta anos

Cesaltina Jofre nasceu em Constância e canta o fado há cinquenta anos

Com alma de artista também escreve as letras dos fados que já cantou um pouco por todo o país

“A música foi uma das melhores invenções do homem. É uma linguagem universal que foi criada só para dispor bem”, acredita quem canta até na hora de ir dormir.

Edição de 13.04.2011 | Especial Constância
Foi baptizada como Maria Cesaltina Ferreira mas é por Tina Jofre que todos a conhecem. Nasceu em Constância há 63 anos, terra que ama e canta. “Nasci mesmo na confluência do Zêzere com o Tejo porque os meus pais tinham uma casa junto ao rio, onde hoje existe uma esplanada”, conta num tom sempre pianinho. Ali estudou e viveu até se casar (Jofre é o apelido do marido), passando depois a viver em Angola. Acabou por regressar à terra que ama e que também canta, já que também escreve algumas das letras dos seus fados. A música surgiu na vida de Cesaltina Jofre (como prefere ser chamada) muito cedo. “Os avós e pais da apresentadora Serenella Andrade moravam em Constância para onde vinham no Verão. Os meus padrinhos faziam teatro amador e punham-me a cantar, de pequena, na eira deles”, recorda. Mais tarde, com 14 anos, começou a tocar acordeão, instrumento que aprendeu em aulas particulares que recebeu em casa e mais tarde no Conservatório de Música de Tomar. “Os meus pais e os meus tios tocavam numa banda e o meu irmão mais velho ofereceu-me um acordeão de brincar. Nunca mais parei”, conta. Começa a cantar o fado já adulta, na cidade do Luso em Angola, para onde foi viver em 1970 já depois de casar. Numa tertúlia de amigos, conheceu um grupo que tocava viola e cantava o fado e que era integrado por Carlos Velez, controlador da Força Aérea e que considera um dos melhores viola de fados português. “Foi ele que me pôs, tecnicamente, a cantar os tons e os primeiros fados”, conta, revelando que até aí nunca tinha cantado “porque o fado nasce com a saudade e com os sentimentos da pessoa”. Voltou a Constância em 1972 com esta faceta musical mais entranhada que nunca. Primeiro cantava nas festas e tertúlias de amigos e só mais tarde em festas populares e espectáculos de variedades. “Com o 25 de Abril foi complicado porque acabou-se o fado. Diziam que era do fascismo. Mas eu, nesta terra, sempre tive liberdade”, conta. Com alma de artista, Cesaltina Jofre também escreve as letras dos fados que já cantou um pouco por todo o país e até no estrangeiro, cantando há 50 anos numa perspectiva sempre amadora embora confesse que ganhou muito dinheiro a tocar acordeão. Actuava em festas de bombeiros, de misericórdias, festas populares, homenagens e outras cerimónias. “Não parava, era muito solicitada. Corri o país todo e fui capa de muitos jornais”, recorda, mostrando o portfólio de recortes de jornais e também dos espectáculos em que participou. Em Constância também já actuou por diversas vezes, embora nunca a convite da autarquia. O que Cesaltina Jofre talvez lamente mais, embora sem mágoa, foi ter vivido numa época em que o fado não era valorizado considerando, por isso, que uma carreira profissional lhe tenha passado ao lado por questões políticas e, depois, de idade. “As fadistas que hoje estão em voga, Cristina Branco, Teresa Tapadas, apanharam uma fase boa do fado. A minha época já passou”, diz. Mesmo assim não termina a entrevista sem elevar a sua voz para cantar: “Constância, linda princesa/presa por tão grande encanto/cheia de graça e beleza/ és tão linda e eu te quero tanto… tanto”.“Barquinha Saudosa” O grupo de música popular “Barquinha Saudosa” pertencente ao Clube União e Recreios da Moita do Norte, Vila Nova da Barquinha, surgiu há 12 anos por iniciativa de Cesaltina Jofre. É composto por pessoas que gostam de cantar e tocar e que, por estarem reformadas, têm tempo livre para o fazer. “Actuamos em Festas de Natal, damos espectáculos e fazemos muitas visitas a lares, o que é muito interessante”, conta. Ensaiam duas vezes por semana e estão sempre prontos para animar uma festa. “Não gosto de estar parada. Até na cama estou a cantar”, completa Tina Jofre.
Cesaltina Jofre nasceu em Constância e canta o fado há cinquenta anos

Mais Notícias

    A carregar...