uma parceria com o Jornal Expresso

Edição Diária >

Edição Semanal >

Assine O Mirante e receba o jornal em casa
31 anos do jornal o Mirante

Período máximo de estacionamento à superfície no Entroncamento passa de duas para cinco horas

Moradores da zona dos parcómetros que não queiram estacionar gratuitamente no subterrâneo pagam vinte euros por mês

Autarcas consideram que foi encontrada uma solução equilibrada e justa porque foi criada uma alternativa.

Edição de 12.10.2011 | Sociedade
Os cartões de morador que permitiam a alguns munícipes do Entroncamento estacionar sem pagar nos lugares de estacionamento taxado à superfície (com excepção do parque da Avenida da Estação), vão deixar de ser atribuídos gratuitamente, passando a custar 20 euros por mês.Esta é uma das principais alterações ao regulamento municipal das zonas de estacionamento de superfície (268 lugares), aprovado na reunião do executivo municipal, realizada dia 10, segunda-feira, à tarde, por unanimidade.O regulamento de estacionamento estava em vigor há quatro anos e uma primeira tentativa de o alterar, feita em Junho, foi suspensa devido a protestos dos moradores da chamada zona A (área circundante ao edifício do mercado municipal). Na altura a câmara propunha-se acabar com o estacionamento gratuito à superfície e destinava o piso - 2 (menos dois) do parque de estacionamento subterrâneo, situado na praça Salgueiro Maia, para esse fim, situação que originou as reclamações. Com o novo regulamento a gratuitidade do estacionamento no piso - 2 do parque subterrâneo vai avante. E os moradores que optem por não adquirir o cartão de estacionamento para os lugares à superfície, vão beneficiar de um período de estacionamento de 15 minutos não pago, para as denominadas “operações particulares de carga e descarga”.A utilização do segundo piso do parque subterrâneo passa a ser mais interessante, uma vez que a autarquia decidiu o mês passado, que o mesmo passe a funcionar ininterruptamente (todos os dias do ano, 24 horas por dia) o que não acontecia em Junho. Nessa altura o parque encerrava nos dias úteis durante a noite, bem como aos sábados à tarde e durante todo o dia aos domingos e feriados. Para além disso, o município cria “uma zona de parqueamento gratuito para moradores possuidores de viaturas movidas a GPL” (Gás de Petróleo Liquefeito) que, por esse motivo, não possam usar o parque subterrâneo.Uma outra alteração significativa no estacionamento à superfície é a alteração do limite máximo de tempo, que passa de duas para cinco horas. O estacionamento nas zonas com parcómetros é pago nos dias úteis entre as 08h00 e as 20h00 e aos sábados entre as 08h00 e as 13h00. O pagamento é por fracções de 15 minutos, custando o primeiro período 10 cêntimos. A primeira hora custa 40 cêntimos e as primeiras duas horas 1 euro, o mesmo preço que é cobrado por um dia de estacionamento no Parque à superfície na Avenida José Eduardo Vítor das Neves (Avenida da Estação), com capacidade para 268 veículos. No parque subterrâneo (266 lugares) , onde os moradores podem estacionar gratuitamente no piso menos dois, o preço a pagar por um único dia é de 1,10 Euros. O novo regulamento vai estar em consulta pública durante 30 dias.Moradores da zona A tinham admitido pagamento Durante a reunião da Assembleia Municipal do Entroncamento realizada dia 26 de Setembro, uma porta-voz dos moradores da zona A, disse que os mesmos não aceitavam perder o direito a estacionar à superfície embora estivessem dispostos a pagar “uma pequena importância”, tendo referido que, em Lisboa, os munícipes em circunstâncias idênticas pagavam “12 euros por ano”. Durante a reunião do executivo municipal de segunda-feira à tarde, o vereador Alexandre Zagalo (PS) lembrou que a situação não é igual. “Em Lisboa os moradores pagam mas não têm qualquer outra alternativa. Aqui no Entroncamento têm lugar gratuito no piso menos dois do parque subterrâneo e ainda a possibilidade de usarem 15 minutos à superfície para cargas e descargas. Votamos a favor porque foi encontrada uma solução justa”.Henrique Cunha, do mesmo partido deu os parabéns aos moradores por terem lutado pelos seus direitos tendo conseguido introduzir alterações no projecto de regulamento apresentado em Junho (estacionamento temporário de 15 minutos para cargas e descargas e funcionamento em contínuo do parque subterrâneo”. Carlos Matias do BE declarou que a entrada em vigor das novas regras só deve acontecer após a emissão do “cartão de controlo de estacionamento temporário”.

Mais Notícias

    A carregar...