uma parceria com o Jornal Expresso

Edição Diária >

Edição Semanal >

Assine O Mirante e receba o jornal em casa
31 anos do jornal o Mirante
Mário Faustino

Mário Faustino

47 anos, empresário, Santarém

“O ser humano precisa de se relacionar sexualmente, faz parte da vida e os padres não são diferentes. A castidade não deveria ser uma obrigação mas sim uma opção de cada padre”

Edição de 11.01.2012 | Agora falo eu
Acredita nas profecias que antevêem o fim do mundo em Dezembro de 2012?Para alguns vai acabar com certeza (risos). Não acredito em nada dessas profecias mas respeito as pessoas que acreditam nessas previsões. Tenho visto alguns programas na televisão sobre o assunto, acho engraçado, mas acho também que essas teorias não têm qualquer credibilidade.Portugal vai sair do euro?Julgo que será difícil isso acontecer. Estou convencido que a Alemanha nos vai aguentar porque eles precisam de nós e de todos os países europeus. A Alemanha tem vindo, pelas imposições que têm sido feitas, a empobrecer os países periféricos. Mas a Alemanha não se pode esquecer que são esses países periféricos que consomem os seus produtos e se não temos dinheiro a Alemanha também entra em recessão.O que lhe agrada mais numa mulher, retirando a beleza interior?São os olhos, o pior é que elas agora só usam óculos escuros (risos).Concorda com o casamento entre pessoas do mesmo sexo?Sim. Se as pessoas se sentem felizes ao casar devem fazê-lo independentemente do sexo de cada um. Cada um tem o direito a fazer as suas opções e nós só temos que respeitar.Os padres deveriam poder casar?Casar não sei, mas que deviam poder ter uma família e relações sexuais como qualquer ser humano acho que sim. O ser humano precisa de se relacionar sexualmente, faz parte da vida e os padres não são diferentes. A castidade não deveria ser uma obrigação mas sim uma opção de cada padre.A que se deve o sucesso dos reality shows nas televisões?É ao prazer que as pessoas têm em saber a vida dos outros. Adoramos saber as figuras tristes que cada um faz em casa (risos). São programas sem qualquer conteúdo cultural ou informativo mas chegamos a um ponto em que a vida já está tão complicada que estes programas ajudam a descontrair e a sorrir mesmo que seja com muitos disparates.Era capaz de deixar o carro e passar a utilizar transportes públicos?A melhor coisa que me poderia acontecer era não ter carro porque passava a andar muito mais a pé e de bicicleta. Tenho carro porque preciso para trabalhar, mas evito usá-lo. Chego a ter o carro parado mais de uma semana, só o utilizo quando é mesmo necessário. Portugal devia apostar mais na utilização de bicicletas.Ainda tem muitos sonhos para concretizar?Os sonhos vão aparecendo e eu vou tentando realizá-los. Neste momento, quero que a minha empresa dê resultado e continue a ser um sucesso. Depois gostava de fazer um cruzeiro pelo Mar do Norte e conhecer os países escandinavos.Já pensou em tornar-se vegetariano?Não conseguia porque adoro carne e peixe e sou um óptimo garfo. Gosto de comer um bife bem tenro. Tem é que ser muito bem temperado e cozinhado. Esse é o segredo.
Mário Faustino

Mais Notícias

    A carregar...