uma parceria com o Jornal Expresso

Edição Diária >

Edição Semanal >

Assine O Mirante e receba o jornal em casa
31 anos do jornal o Mirante

Nuno Serra sem concorrência nas eleições para a concelhia do PSD de Santarém

Alguns dos seus adversários nas últimas eleições não puderam agora integrar listas nem podem votar por não terem as quotas em dia.

Edição de 08.02.2012 | Política
Nuno Serra não vai ter concorrência nas eleições para a comissão política concelhia do PSD de Santarém, acto em que alguns dos seus adversários internos no último sufrágio não poderão participar por não terem pago as quotas de militante atempadamente. É o caso de Luís Arrais, que perdeu as eleições para Nuno Serra em Setembro de 2010, e que embora tenha mantido algum suspense sobre uma eventual recandidatura acabou por não avançar em nome da “união” do partido.Ao nosso jornal, Luís Arrais, que é administrador executivo da empresa municipal Scalabisport, disse não saber se tem ou não as quotas do PSD em dia e referiu que essa situação não teve qualquer influência na sua decisão. “O importante é manter o partido unido porque vamos ter dois anos muito difíceis. O resto é fogo de vista”, afirmou Luís Arrais.Outros militantes impedidos de participar no acto eleitoral de sábado, 11 de Fevereiro, por não terem a quotização em dia e por isso não constarem dos cadernos eleitorais, são Vítor Varejão, adjunto do presidente da câmara Moita Flores, e João Lucas, vogal da administração da empresa municipal STR.URBHIS, ambos apoiantes de Arrais nas eleições de 2010.Nuno Serra, que é também deputado eleito por Santarém, disse a O MIRANTE que vai manter essencialmente a mesma equipa que o acompanhou nas últimas eleições internas, embora com algumas mudanças de lugares. O presidente da Junta de Freguesia de Marvila, Carlos Marçal, será o único vice-presidente, e Marco Pombo continuará o tesoureiro. Como candidato a presidente da mesa da assembleia de militantes vai estar novamente o vereador Ricardo Gonçalves.O actual líder da concelhia e recandidato a novo mandato de dois anos diz que recebeu o apoio de alguns militantes que estiveram com Luís Arrais nas últimas eleições, referindo que “houve um grande consenso” relativamente à sua recandidatura. Quanto ao facto de alguns dos seus potenciais adversários não poderem ir à luta por não terem pago as quotas atempadamente, Nuno Serra optou por não se alongar em comentários. “Acho que quem está num partido ou numa associação deve participar activamente, ir às reuniões, votar nas eleições. Mas cada um sabe a maneira como deve exercer a sua militância”, concluiu.

Mais Notícias

    A carregar...