uma parceria com o Jornal Expresso

Edição Diária >

Edição Semanal >

Assine O Mirante e receba o jornal em casa
31 anos do jornal o Mirante

Rejubilante Serafim das Neves

Edição de 18.04.2012 | E-mails do outro mundo
Tal como tu estou felicíssimo com o anúncio da candidatura de António Gameiro à distrital de Santarém do PS. Tal como tu, vejo nele um António José Seguro sem cabelo. Tal como tu olho para ele como um dos jovens mais velhos da política portuguesa. Tal como tu vejo-os a beber chá de camomila e a comer biscoitinhos de canela ao cair da tarde enquanto discreteiam sobre a falta de educação do Miguel Relvas que não estica o dedo mindinho quando segura na chávena. Tal como tu, vejo nele grande potencial para ser uma nova musa inspiradora desta nossa troca de correspondência.Mas há mais políticos do PS prontos a saltar para este abençoado espaço de reflexão política e social. O ex-enfermo Pedro Ribeiro volta a candidatar-se à concelhia do PS do Cartaxo. E vem embalado por ideias novas. Afirma ser ele o futuro. Pela minha parte acredito piamente. Não só que ele vai ser futuro como foi também passado e presente. Afinal um homem já com aquela idade, apesar da falta de barba, não caiu assim do céu pela Pascoela como as tais línguas de fogo que nós víamos no catecismo. Pedro Ribeiro não é um espalha brasas como o ex-presidente da câmara Paulo Caldas mas nos tempos que correm temos que aproveitar toda a matéria prima que nos calhe em sorte. Penso que estaremos à altura das subtilezas cardinalícias do senhor. Como dizia o outro que pediu à inacessível menina que lhe desse um pouco da sua urina, quando não há galinha temos que nos contentar com a canja.Acabei de saber que o presidente da câmara municipal de Azambuja acabou de receber uma excelente notícia. Vê lá tu que, por uma questão processual qualquer, já não vai ser obrigado a fazer os centros escolares de Aveiras de Cima e Vila Nova da Rainha nem o pavilhão desportivo de Alcoentre. Imagino os saltos de alegria que o bom do presidente Joaquim Ramos não deu quando lhe disseram que tá, tá, ti, tá, tá, tó, os prazos e tal e coisa. Quem é o Presidente de câmara que não quer ser impedido de fazer obras nos tempos que correm?!!A semana passada tomei conhecimento de uma conversão pascal ocorrida para os lados da Chamusca. Um ímpio vestiu-se de burel e rojou-se aos pés daqueles que insultara rogando-lhes perdão. A ressurreição de Cristo ainda não tinha acontecido mas o momento não deixou de ser inspirador. O homem, que acredita ser encenador de teatro e actor, apresentou lá na terra um monólogo da sua autoria intitulado “Coitadinho que eu sou” em que falava da câmara cruel que nem uma tigelinha de sopa lhe dava. A declamação não teve o sucesso esperado e daí a auto-reciminação uns dias depois, em plena reunião do executivo municipal. Em vez de punhadas no peito e cabelos arrancados ele pediu como castigo que lhe dessem com o microfone no toutiço. Espero que me avisem da data da penitência para eu poder testemunhar o chamado ...feed-back...enfim...aquele guincho agudo que se ouve nas colunas de som, nos concertos das bandas de música moderna.Termino com um desejo de melhoras ao Presidente da Câmara de Santarém. No Sábado houve uma inauguração de três ruas e aí é que eu senti a falta que Moita Flores nos faz a todos. Perderam-se três gongóricos discursos perante as lápides...perdão...as placas com os nomes dos ilustres escalabitanos que foram homenageados. Nacos de prosa que agora nos saberiam tão bem regados a trejeitos de sofrimento e sentida dor. Enfim. Esperemos que o próximo presidente da câmara tenha, pelo menos, metade das capacidades oratórias de Moita Flores, ou mesmo do saudoso Miguel Noras que agora se entretém a coleccionar doutoramentos, como antes coleccionava moedas e relógios. Um abraço substancial Manuel Serra d’Aire

Mais Notícias

    A carregar...