uma parceria com o Jornal Expresso

Edição Diária >

Edição Semanal >

Assine O Mirante e receba o jornal em casa
31 anos do jornal o Mirante
Rotary de Vila Franca renasce confiante nos homens e mulheres de boa vontade

Rotary de Vila Franca renasce confiante nos homens e mulheres de boa vontade

Grupo vai começar dos zero cêntimos mas quer voltar a conceder bolsas de estudo
Edição de 18.04.2012 | Sociedade
Um grupo de empresários, profissionais liberais e antigos rotários decidiu voltar a dar vida ao Rotary Club de Vila Franca de Xira que se encontrava desactivado há três anos. O rotary renasce em plena crise mas confiante nos homens e mulheres de boa vontade dispostos a “dar de si sem pensar em si”, como dita o lema internacional da organização. O advogado Henrique Levezinho é o grande dinamizador do grupo que vai arrancar numa fase inicial com 15 elementos. O núcleo duro conta ainda com Dário Queiroz, Ricardo Inocêncio, Renato Rosinha, João Borges e Vítor Silva. “Não quisemos deixar morrer o club em Vila Franca de Xira que tem tradições de rotary desde os anos 40”, destacam os rotários.O Rotary de Vila Franca de Xira não chegou a ser formalmente extinto e por isso para dar continuidade à organização os actuais elementos já efectuaram os pagamentos ao Rotary Internacional com retroactivos. O grupo esgotou a capacidade de recursos mas está preparado para começar dos zero cêntimos. A cerimónia de reactivação do club está marcada para 26 de Abril. As duas últimas presidentes do Rotary de Vila Franca de Xira foram mulheres - Helena Pereira de Jesus e Maria José Rosado dos Santos. De acordo com os actuais elementos a tradição da forte presença feminina não será quebrada. Este grupo inclui também algumas mulheres, tais como a presidente de câmara, Maria da Luz Rosinha, Helena Pereira de Jesus, Deolinda Jesus e Luísa Brandão Soares. Houve uma altura em que esteve interdita a presença das mulheres no movimento, que nasceu em Chicago em 1905, mas Henrique Levezinho considera que hoje as mulheres têm uma papel essencial na organização. “Trazem sensibilidade e humanidade”. Alguns elementos têm perto de 80 anos, como é o caso de Ricardo Inocêncio, o que Henrique Levezinho considera igualmente uma mais valia para o movimento.O grupo quer integrar mais companheiros até Julho de 2013, altura em que Lisboa vai receber a conferência de Rotary Internacional. Será a primeira vez que Portugal recebe a reunião de todos os rotários. Entre 20 a 25 mil rotários vão concentrar-se em Lisboa na última conferência a realizar-se na Europa até ao final desta década.Um dos objectivos do renovado club é o reforço do quadro social. Os rotários integram o grupo por convite, o que significa que os elementos têm que ser profissionais reputados na comunidade, de bom coração e capazes de dar de si de forma desinteressada. “Todos nós temos amigos que têm sucesso na vida profissional e financeira mas que não convidamos”, ilustra Henrique Levezinho. O rotary quer também continuar a conceder bolsas de estudo em parceria com empresas e outras entidades premiando o mérito. “O melhor recurso que temos é a massa cinzenta das nossas mulheres e dos nossos homens. É estúpido que um jovem não possa estudar porque o pai está desempregado ou a mãe doente. Apesar de termos a geração mais qualificada de sempre continuamos aquém do que seria exigível”, alerta. O grupo pretende também implementar um marco rotário na cidade da Póvoa de Santa, Iria tal como o fez em Vila Franca de Xira e Alverca, além de dar maior visibilidade às acções de rotary. “Esperamos contribuir também para que em Junho de 2013 o presidente de rotary anuncie ao mundo o fim da poliomielite, uma batalha do Rotary Internacional dos últimos 30 anos”, remata Henrique Levezinho.
Rotary de Vila Franca renasce confiante nos homens e mulheres de boa vontade

Mais Notícias

    A carregar...