uma parceria com o Jornal Expresso

Edição Diária >

Edição Semanal >

Assine O Mirante e receba o jornal em casa
31 anos do jornal o Mirante

Sete jovens futebolistas chineses estão a treinar e a jogar no Fátima

Jogadores fazem parte de um grupo de 41 que vieram para fazer a sua formação

Sete jovens jogadores de futebol das selecções jovens da China que chegaram a Portugal, em Dezembro de 2011, para fazer a sua formação com treinadores portugueses, estão a treinar e a jogar nas equipas de juniores e juvenis do Centro Desportivo de Fátima.

Edição de 26.04.2012 | Desporto
Foram quatro centenas de jovens chineses que vieram para Portugal integrados num projecto de formação que visa a formação de uma equipa mais forte e organizada com vista a conseguir um lugar de destaque nos Jogos Olímpicos de 2016.Os jovens chineses não vieram num charter idealizado por Paulo Futre. Mas vieram através de um protocolo com as autoridades portuguesas. Vêm passar as próximas duas épocas integrados em pequenos clubes, de Norte a Sul do País. “No início pensámos que poderiam ir para as escolas do Sporting ou do Benfica”, disse ao Jornal de Notícias, Liang Zhan, o empresário chinês estabelecido em Lisboa, que idealizou todo o projecto. “Mas, além desses clubes pedirem muito dinheiro para os receber, não lhes dariam tanta atenção como nas equipas pequenas para onde foram distribuídos”, disse.Como o Fátima os clubes recebem uma importância (cerca de 20 mil euros por jogador), números que não foram confirmados pelo treinador do Fátima, Ricardo Branco. “Não sei quais são as condições para os clubes, essas negociações foram feitas com a direcção do clube e como é lógico não me foram comunicadas”, referiu.Dos sete jogadores colocados no Fátima apenas dois estão a jogar regularmente. São Lee e Chen. Têm ambos 18 anos e jogam na equipa de juniores. Os cinco restantes são ainda juvenis estão todos na casa dos 15 anos e por isso não puderam ser inscritos em Dezembro. “Não foi possível ultrapassar todas as barreiras burocráticas. Enquanto com os dois juniores foi possível estabelecer um contrato de formação, com os juvenis foi necessário obter o visto de residência e encontrar uma escola para os matricular e isso não foi possível ultrapassar antes do fecho das inscrições”, disse Ricardo Branco. Agora já está tudo resolvido, os jogadores juvenis já frequentam uma escola em Fátima, já têm o visto, e vão ser inscritos na Associação de Futebol de Santarém. Na próxima época já vai ser possível ver mais jogadores asiáticos a jogar na equipa do Centro Desportivo de Fátima.Mas nesta altura todos os sete que vieram para o Fátima treinam diariamente. Os juniores treinam e jogam na equipa do seu escalão, e treinam também com a equipa sénior do clube, que se encontra a disputar o Campeonato Nacional da Segunda Divisão. Os juvenis apenas treinam. “Mas um dia por semana vão todos treinar a Lisboa juntamente com os restantes companheiros que vieram com eles. E fazem também jogos com as equipas dos grandes clubes”, disse Ricardo Branco.Nessa altura treinam com o técnico Carlos Gomes, que foi o responsável pela escolha dos jogadores a virem para Portugal. “Tem havido francos progressos, tudo está a melhorar, depois de terem perdido o primeiro jogo com o Real Massamá, vencemos o segundo. Já vencemos outras equipas que disputam o Campeonato Nacional de Juniores da Primeira Divisão. Os jogadores estão a evoluir acima de todas as expectativas”, disse o técnico à comunicação social.Em Fátima os jogadores estão alojados em instalações do clubeOs sete jogadores que vieram para Fátima estão alojados na residência que o clube construiu junto ao Estádio João Paulo II. “É ali que fazem toda a sua vida. Têm uma rotina normal, é o clube que fornece as refeições, tem funcionárias a tratarem de toda a logística. Têm também um tutor chinês que toma conta deles. Mas estão perfeitamente integrados na vida do clube, fazem um dia a dia normal e já fizeram amizades com os companheiros de equipa e da escola”, garantiu Ricardo Branco.A grande dificuldade é a comunicação entre técnicos e colegas de equipa. “Nós já conseguimos ultrapassar algumas barreiras. Os jogadores vão conseguindo assimilar alguns termos, as novas tecnologias têm sido muito importantes nesse sentido. E por outro lado há um dos jogadores que fala bem inglês e através dele tem sido possível estabelecer uma boa forma de entendimento”, explicou o técnico.Para além disso os jovens chineses são simpáticos e afáveis e as pessoas de Fátima que acompanham mais de perto a vida do clube, também ajudaram nessa integração. “Os pais que acompanham as equipas já conseguem um excelente relacionamento com os jovens”, disse Ricardo Branco.Só Lee jogou em TomarO MIRANTE esteve dia 21 de Abril em Tomar onde a equipa de juniores do Fátima jogou e venceu 2-1 a equipa local. Só jogou um dos jogadores chineses, Lee que joga a médio, o outro júnior, Chen está lesionado. “O nosso objectivo era subir de divisão, já sabemos que isso não vai ser possível. Agora continuamos com o objectivo principal que é formar jogadores para integrar a equipa principal, e isso está a ser conseguido, para além de Lee e Chen, mais dois ou três jogadores também vão transitar para a equipa principal”, disse o treinador.No jogo Lee parece ainda um pouco perdido, corre muito mas parece ainda não ter encontrado a sua posição certa no terreno. Por isso, Lee é o nome mais gritado por Ricardo Branco, o técnico não se cansa de chamar a atenção para a posição do jogador. Os seus companheiros de equipa também lhe chamam a atenção. Lee sorri e tenta encontrar a sua posição certa. Vai dando boas indicações. É bom tecnicamente, tem velocidade, boa capacidade de passe e isso agrada a Ricardo Branco. “Tanto o Lee como o Chen são bons de pés e bastante inteligentes, acredito que vão atingir um patamar elevado no futebol”.

Mais Notícias

    A carregar...